Economia

Novos empréstimos caem quase pela metade na China em julho

Os bancos da China desaceleraram fortemente o ritmo de liberação de empréstimos em julho, à medida que a segunda maior economia do mundo deu mais sinais de que está se recuperando do choque da pandemia de coronavírus. Dados do Banco do Povo da China (PBoC, o BC chinês) mostraram nesta terça-feira, 11, que os bancos do país concederam 992,7 bilhões de yuans (US$ 142,8 bilhões) em empréstimos no mês passado, representando quase metade da soma de 1,81 trilhão de yuans verificada em junho.

O resultado de julho ficou abaixo da previsão de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, de 1,275 trilhão de yuans em novos empréstimos.

O financiamento social total, uma medida mais ampla do crédito na economia chinesa, também sofreu forte queda entre junho e julho, de 3,43 trilhões de yuans para 1,69 trilhão de yuans.

Já a base monetária da China (M2) teve acréscimo anual de 10,7% em julho, ficando bem abaixo do avanço de junho e da projeção do mercado, de 11,1% em ambos os casos.

Veja também

+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos

+Conheça os 42 anos de história da picape Mitsubishi L200

+ Remédio barato acelera recuperação de pacientes com covid-19

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?