Giro

Novo líder da direita europeia apoia adesão da Ucrânia à UE

Novo líder da direita europeia apoia adesão da Ucrânia à UE

(Arquivo) O eurodeputado alemão Manfred Weber - AFP/Arquivos



O eurodeputado alemão Manfred Weber declarou nesta terça-feira que a entrada da Ucrânia na União Europeia (UE) é uma prioridade, após ser eleito novo líder do Partido Popular Europeu, de direita.

Candidato único ao cargo, até agora ocupado pelo ex-presidente do Conselho da UE Donald Tusk, Weber enfrenta a difícil tarefa de resgatar a influência do PPE, após as derrotas esmagadoras sofridas na França e na Alemanha.

+ Ucrânia investiga 15 mil potenciais crimes de guerra

“A primeira mensagem que devemos transmitir neste momento é de que, sim, pode ser membro da União Europeia”, declarou Weber após a sua eleição durante um congresso em Roterdã, Holanda. “O PPE apoia o status de candidato para os nossos amigos ucranianos e também para a República da Moldávia”, acrescentou, ao lado do ex-presidente ucraniano Petro Poroshenko, autorizado a deixar seu país para participar do evento.




A Ucrânia expressou sua frustração com a recusa de vários países da União Europeia a acelerar a sua entrada no bloco após a invasão russa, que começou em 24 de fevereiro. A Comissão Europeia deve se pronunciar em junho sobre a obtenção do status de candidato por parte da ex-república soviética.

Weber também declarou que a próxima prioridade do PPE é recuperar o posto de maior potência política, após vários reveses eleitorais para os partidos conservadores na União Europeia. “Sejamos honestos, não estamos no melhor momento da nossa história”, reconheceu.

A família política conservadora registrou recentemente um resultado desastroso nas eleições presidenciais francesas, com menos de 5% dos votos, e perdeu o governo alemão, com a saída de Angela Merkel da chancelaria.


Embora mantenha seu domínio no Parlamento Europeu, o grupo político conta com apenas sete líderes entre os 27 Estados-membros (Grécia, Áustria, Chipre, Romênia, Croácia, Lituânia e Letônia).






Tópicos

acordo acordo da União Europeia Água Alemanha alimentação ataque total da Rússia ataques terrestres avanço da Rússia batalhas bombardeada bombardeio russo BRUXELAS capital Kiev captura cidade de Sievierodonetsk cidade industrial contratos de gás contratos de gás para a Alemanha controle dos russos controle total de Luhansk cortar as importações de petróleo da Rússia cortar importações do petróleo russo dinamarquesa dinamarquesa Orsted distribuidora holandesa de gás eletricidade Europa forças russas forças ucranianas gás GasTerra Gazprom governador regional de Luhansk governador regional Gaidai guerra importações de petróleo da Rússia importações do petróleo russo instalações químicas instituto Study of War invasão invasão de Moscou Jan Egeland KIEV Kremlin Leonid Pasechnik leste da Ucrânia leste que Moscou líder da República Popular de Luhansk líder separatista pró-Moscou Luhansk Lysychansk maiores ataques terrestres medida da UE Moscou munições norte da ucrânia Orsted petróleo da Rússia petróleo russo presidente russo presidente ucraniano pró-Moscou propriedades residenciais província de Luhansk províncias no leste que Moscou remédios representantes russos rio rio Siverskyi Donets rublos Rússia russos secretário-geral da agência de auxílio Conselho Norueguês de Refugiados separatistas Serhiy Gaidai Shell Energy Sievierodonetsk Siverskyi Donets Tass terra arrasada tropas ucranianas Ucrânia União Europeia vencer a guerra vitória russa Vladimir Putin Volodymyr Zelenskiy Washington