Edição nº 1109 22.02 Ver ediçõs anteriores

Novidade na renda fixa

Novidade na renda fixa

Está tudo pronto para que a gestora Mirae Asset Global Investments no Brasil lance o primeiro ETF (Exchange Trade Fund, na sigla em inglês) de renda fixa do Brasil em cerimônia na B3. O produto foi desenvolvido em conjunto com a S&P Dow Jones dos Estados Unidos, que formulou um índice de referência para as negociações, tendo como base o mercado de juros futuros. O fundo terá tamanho inicial entre R$ 50 milhões e R$ 100 milhões. “A meta é captar R$ 10 bilhões em dois anos”, diz André Pimentel, diretor de investimentos da Mirae Asset no Brasil. Com cotas a partir de R$ 10, o produto é destinado tanto às pessoas físicas quanto para investidores institucionais e qualificados.

(Nota publicada na Edição 1086 da Revista Dinheiro, com colaboração de: Cláudio Gradilone e Priscilla Arroyo)


Mais posts

Volkswagen quer liderança, mas com fair play

Nenhum dos 20 novos carros que a alemã Volkswagen vai lançar no Brasil até 2020, dentro de um plano de investimento de R$ 7 bilhões, [...]

Roteiro bilionário

A Tour House, especializada em viagens corporativas, definiu um novo roteiro: faturar entre R$ 1,2 bilhão e R$ 1,5 bilhão em 2020. [...]

Vai dar praia

Nem só de ternos e gravatas vive o mundo das grifes de luxo. Tanto é que os empresários Michel Lassner (à esq.) e Alexandre Reitzfeld, [...]

O voo da Frente Corretora

A Frente Corretora de Câmbio está reinventando o mercado de venda de papel moeda. Com modelo inovador, que negocia dólar via [...]

Improviso na Saúde

Mesmo os mais bem relacionados interlocutores da indústria farmacêutica estão encontrando dificuldades para agendar conversas com o [...]
Ver mais
X

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.