Giro

Novas previsões sobre a potencial colisão do asteroide com a Terra

Crédito: Reprodução/NASA

Possíveis riscos de impacto com a Terra foram inicialmente detectados nas próximas passagens do asteróide Apophis nos anos 2029, 2036 e 2068. (Crédito: Reprodução/NASA)

O asteroide 99942, conhecido como Apophis, é uma rocha espacial do tamanho de um navio de cruzeiro. De Aguadilla, Porto Rico, foram tiradas imagens que mostram uma ligeira aproximação ao nosso planeta no último dia 5.

+ Nasa vai tentar desviar um asteroide em 2022

A Sociedade Caribenha de Astronomia informou que um de seus cientistas, Efraín Morales, capturou imagens do Apophis, que em abril de 2029 passará tão perto da Terra que poderá ser observado a olho nu de algumas áreas do planeta.

Além dos telescópios ópticos, os especialistas também usaram o radar California Goldstone para estudar a rocha espacial de 370 metros de diâmetro. As novas observações feitas na primeira semana de março permitiram definir um pouco melhor a órbita do Apophis, segundo o Diario de Yucatán .

A sociedade destaca que novos cálculos sugerem que o Apophis passaria na sexta-feira, 13 de abril de 2029, a 31.643 quilômetros da superfície da Terra, ou seja, próximo à órbita de satélites meteorológicos e de televisão.

Possíveis riscos de impacto com a Terra foram inicialmente detectados nas próximas passagens do asteróide Apophis nos anos 2029, 2036 e 2068. No entanto, observações recentes permitem descartar o risco de colisão durante essas abordagens.

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel