Sustentabilidade

O carro que faz fotossíntese

Os carros e as motocicletas são, de fato, os grandes vilões do aquecimento global. Só no Brasil, Só no Brasil, eles emitem 1,5 milhão de toneladas de CO2 


Uma montadora chinesa, entretanto, pretende fazer de um carro o grande parceiro do meio ambiente. Como? Desenvolvendo um veículo capaz de absorver o CO2 e devolver oxigênio para a atmosfera – igual ao processo de fotossíntese. Batizado de YeZ (foto maior), seu teto capta energia solar e suas rodas contam com pás para transformar energia eólica em eletricidade. A tecnologia, dizem seus inventores, será vista nas ruas a partir de 2030. Conheça outros carros ecológicos ainda no forno:

 

17.jpg

 

20.jpg 

 

 

Energia


Ventos sopram a favor 

 

Se os países-membros do G-20 avançarem em suas políticas ambientais, o mercado global de energia limpa, que inclui solar, eólica e biomassa, poderá receber uma injeção de investimentos de US$ 2,3 trilhões até 2020. É, pelo menos, o que aponta um levantamento coordenado pela Pew Charitable Trusts, instituição americana sem fins lucrativos. A maior parte dos recursos, cerca de  40%, será direcionada a projetos na China, Índia, Japão e Coreia do Sul. O Brasil poderá receber US$ 8 bilhões anuais.   

 

19.jpg

 

 

Inovação


Energia de estrume

 

As vacas da fabricante chinesa de laticínios Huishan Dairy estão colaborando com o meio ambiente. O estrume delas está sendo usado para que seja transformado em energia. A  empresa criou o maior conversor de metano do mundo e está utilizando os dejetos de 60 mil de suas 250 mil vacas para gerar 5,66 megawatts, o suficiente para abastecer cerca de 26 mil residências. O equipamento obtém metano fermentando o estrume de vaca e o transforma em energia.

 

21.jpg

 

 

Consumo


O bolso conta mais

 

A responsabilidade socioambiental está na cabeça dos jovens paulistanos e cariocas, mas ainda não é determinante na decisão de compra. É o que aponta pesquisa da ESPM, que ouviu 457 jovens com idades entre 16 e 24 anos. Embora acreditem que critérios éticos, sociais e ambientais sejam importantes, o fator preço é o que determina a opção de compra de 86% dos entrevistados. Acompanhe os resultados:

 

18.jpg

 

 

Petroquímica


Sem petróleo? 

 

Você já imaginou a indústria petroquímica sem a necessidade de petróleo? Pois a Universidade de Massachusetts, nos Estados Unidos, imaginou. Seus pesquisadores descobriram uma forma de produzir matéria-prima para fabricar benzeno, tolueno e outros produtos a partir da biomassa. Com isso, as químicas poderão economizar até US$ 400 bilhões por ano e reduzir – ou até eliminar – a dependência do petróleo, um dos combustíveis mais sujos que existem. 

 

22.jpg

 

 

Empresas do Bem


Curso


Ensinando a pescar 

 

O hotel Txai Ganchos, em Santa Catarina, ainda nem saiu do papel, mas já está fazendo diferença na vida da comunidade da cidade de Governador Celso Ramos. Em parceria com o Senai, vai oferecer cursos gratuitos de  capacitação profissional. Serão sete opções de cursos – que vão de pedreiro a eletricista básico, entre outros. A expectativa é capacitar 130 pessoas no primeiro ano do projeto.

 

23.jpg

 

 

Meio ambiente


Destino certo

 

A rede varejista Cyberlar, com 86 lojas no interior de São Paulo, presidida por Ubirajara Pasquotto, criou um serviço para dar um fim ambientalmente correto aos eletrodomésticos e eletroeletrônicos. O Projeto Descarte Certo na Cybelar é oferecido ao consumidor em duas modalidades. O Presente, no qual o cliente paga para que produtos usados sejam retirados de sua casa, e o Futuro, no qual o cliente compra o produto já com a garantia de que ele será retirado e descartado quando não for mais útil.

 

24.jpg