Negócios

A Sonae Sierra vai às compras

Empresa portuguesa de shopping center quer aproveitar a crise para encontrar pechinchas e ampliar sua presença no Brasil

A Sonae Sierra vai às compras

Revitalização: o diretor Chao comanda a modernização da rede. A começar pelo Parque Dom Pedro, de Campinas, o maior shopping do Brasil (foto: Carol Carquejeiro/Valor)

A economia brasileira anda em uma maré tempestuosa. Mas, nem por isso, faltam empreendedores que enxergam oportunidades no horizonte. Esse é o caso da Sonae Sierra Brasil, subsidiária do grupo português que atua no segmento de shopping center e cuja receita líquida somou R$ 318,7 milhões no ano passado. “Continuamos de olho em possíveis negócios em todas as regiões”, afirma Waldir Chao, diretor de operações da empresa. “Temos dinheiro em caixa, tanto para construir empreendimentos do zero, quanto para adquirir concorrentes menores.”

Inicialmente, as ambições lusitanas são focadas no Rio de Janeiro, em São Paulo e no Distrito Federal, mercados de maior poder aquisitivo e onde tem havido uma queda generalizada nos preços dos imóveis para compra e para locação. O que aparentemente seria um contrassenso, uma vez que é nestes mercados que a concorrência é mais agressiva, faz todo sentido, segundo Chao. Com a crise no varejo, existem autênticas pechinchas para quem tem liquidez de sobra para investir. “Ainda existe muito espaço para ser conquistado nos próximos anos”, diz.

Enquanto as prospecções não se transformam em realidade, a ordem no quartel-general da empresa, na capital paulista, é valorizar o patrimônio atual, composto de 12 centros de compras, 10 deles próprios e dois nos quais a Sonae Sierra atua apenas como gestora. Juntos, eles movimentaram R$ 4,67 bilhões em 2014. Na revitalização e expansão de três de seus principais complexos (o Franca Shopping e o Parque Dom Pedro Shopping, nos municípios paulistas de Franca e Campinas, respectivamente, além do Uberlândia Shopping, em Minas Gerais) estão sendo desembolsados R$ 157 milhões. Nesse montante está incluída a preparação do terreno para a entrada de novas lojas-âncora, como a Riachuelo e a C&A, em Uberlândia, e a ampliação da área gastronômica e a implantação de um cinema padrão Imax, no Dom Pedro Shopping.

Inaugurado em 2002, o shopping de Campinas ainda ostenta o título de o maior centro de compras do Brasil em área contínua, com 121,2 mil m² de área bruta locável. Chao diz que a disposição do grupo de seguir apostando no País não decorre de uma visão cor de rosa da realidade brasileira. Apesar de os números do Sonae Sierra terem se mantido acima da média do mercado. “Os investimentos neste setor têm um perfil de longo prazo”, diz. “Por isso, seguimos acreditando que shopping center continua sendo um bom negócio.”