Geral

Sem ter nada?

A torcida adversária pode até fazer piada com a falta de títulos do Corinthians no ano do centenário 

No papel, porém, a história foi outra. Estudo da consultoria Crowe Horwath RCS obtido em primeira mão pela DINHEIRO mostra que o futebol brasileiro encerrou 2010 com recorde de patrocínios. Foram R$ 571 milhões, incluindo receitas da CBF. Entre os clubes, quem puxa a fila é o time do Parque São Jorge, que, até outubro, tinha embolsado nada menos que R$ 54 milhões  só com patrocínio e direito de transmissão de jogos. Segundo a Crowe, se continuar nessa toada, o futebol brasileiro chegará em 2014 com faturamento de R$ 1 bilhão.

 

28.jpg 

 

 

Campanha


Duro de entender

 

A escola de idiomas CCAA foi a Los Angeles buscar seu novo garoto-propaganda. Bruce Willis, nem tão garoto assim, estrela o filme inspirado na série Duro de matar. A campanha, que estreia em tevê, rádio, revistas e internet na terça-feira 11, foi criada pela agência carioca NBS . No filme, o ator tenta salvar dois garotos das garras do vilão. Como nenhum dos dois meninos domina o idioma, vai tudo por água abaixo. 

 

26.jpg

 

 

Olímpicas


O logo em jogo

 

O logo oficial da Olimpíada de 2016 levou quase um ano para ficar pronto, mas em poucas horas surgiram comentários sobre a semelhança com outras peças. O COB saiu em defesa da Tátil Design, a agência escolhida para criar o desenho, e disse que, numa busca na internet, não encontrou nada similar ao logo do evento. O pessoal da ONG Telluride Foundation, dos EUA, não pensa assim.    

 

27.jpg

 

 

Marcas


As mais valiosas da China

 

Levantamento recém-saído do forno: as 50 marcas mais valiosas da China, da MillwardBrown e obtido com exclusividade por DINHEIRO. Na ponta está a China Mobile, com valor estimado em US$ 56 bilhões. Os bancos ocupam quatro posições entre as dez mais. A título de comparação, as 50 marcas brasileiras mais valiosas somam US$ 60 bilhões, e as 50 tops chinesas somam US$ 280 bilhões.

 

24.jpg

 

 

Revistas


Tudo sobre a Terra

 

A Editora Três está lançando, em parceria com a Petrobras, a coleção Enciclopédia Ilustrada da Terra. São 18 fascículos, capa dura, num total de 520 páginas com informações fascinantes sobre os cinco continentes. O primeiro fascículo chega às bancas no sábado 15 junto com a edição da revista Istoé. O conteúdo da enciclipédia é da editora DK, do grupo Pearson e Penguin.

 

22.jpg

 

 

Bate-papo

 

25.jpg

Nizan Guanaes, sócio do Grupo ABC de Comunicação 

 

O publicitário Nizan Guanaes acaba de ser eleito uma das 21 personalidades mais influentes da comunicação mundial pela revista americana Advertising, uma espécie de bíblia do setor. É o único brasileiro na lista. Ele deu a seguinte entrevista à Mídia & Cia:  

 

O que significa estar na lista dos mais influentes?  

Influente é o Brasil. Eu estou só pegando carona. E faz parte da minha estratégia de negócios: quanto mais o Brasil cresce, mais os nossos ativos se valorizam. Claro que tem um trabalho pessoal nisso. Em 2010, passei 257 dias no Exterior. Valeu a pena. Gosto quando 

a revista diz que quem quiser fazer negócios no País deve falar comigo.  

 

O que o investidor estrangeiro mais pergunta?

Se o crescimento brasileiro não é uma bolha. Asseguro que não. Que estamos colhendo os frutos de um trabalho árduo de estabilização econômica de quase duas décadas. Não é lero-lero. Esta é a nossa hora.

 

Onde o sr.  aposta suas fichas? 

O que mais tem no Brasil atual é oportunidade de investimento. Em agricultura, em serviços diversos. Serviços é uma área que vai bombar loucamente. Em comunicação, aposto no digital. Em comunicação, só sobreviverá aquilo que tiver aplicação e aplicativo.