Tecnologia

Facebook compra o WhatsApp por US$ 19 bilhões

 Dinheiro_CompraWhatsapp_255.jpg

 

Clique e confira o comentário do repórter João Varella

 

 

O Facebook comprou o aplicativo de mensagens WhatsApp por US$ 19 bilhões, segundo comunicado feito à SEC (equivalente americano da CVM) nesta quarta-feira 19. A quantia será paga em US$ 12 bilhões em ações do Facebook e US$ 4 bilhões em dinheiro. Outros US$ 3 bilhões em ações serão dados aos funcionários do WhatsApp. 

 

whatsapp.jpg
Aplicativo Whatsapp possui 450 milhões de usuários, 35 milhões só no Brasil. A aquisição é a maior da história do Facebook

 

 

?O WhatsApp está a caminho de conectar 1 bilhão de pessoas. Serviços que atingem essa marca são de um valor inestimável?, disse o CEO e fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, em um comunicado. Essa é a maior aquisição da história do Facebook, que comprou o Instagram por US$ 1 bilhão em 2012.  Segundo o CFO do Facebook, David Ebersman, o preço pelo WhatsApp levou em consideração a qualidade dos usuários do serviço e a velocidade de crescimento. 
 

No total, o WhatsApp tem 450 milhões de usuários ativos por mês, sendo 35 milhões no Brasil. Segundo a empresa, 18 bilhões de mensagens são enviadas diariamente, sendo 500 milhões contendo imagens. A empresa tem 50 funcionários. Em conferência com acionistas, Zuckerberg disse que o WhatsApp é lider na Europa, América Latina, Índia e Ásia. 

 

O americano Brian Acton e o ucraniano Jan Koum fundaram o WhatsApp em 2009. O serviço faturava cobrando uma taxa anual de US$ 1 de cada usuário. O WhatsApp não exibe publicidades. Segundo o Facebook, a operação do aplicativo será independente da rede social. 

 

Estratégia

Diversos estudos apontam que uma ameaça ao futuro do Facebook é a fuga do público mais jovem. Segundo analistas, um dos fatores que faz com que os jovens fiquem decepcionados com o Facebook é o fato de a rede social ter atraído os pais e parentes dos adolescentes.

Sem querer ser vigiado, a rapaziada está buscando outras tecnologias. Uma delas é o Snapchat, que Zuckerberg tentou sem sucesso comprar por US$ 3 bilhões no final do ano passado.

Outro aplicativo que está conseguindo agradar esse público é o WhatsApp. A diferença essencial do WhatsApp para o Facebook é que o controle de privacidade é descomplicada – o usuário monta facilmente os grupos para quem quer enviar o texto ou a foto.

A compra vem no momento em que o mercado está superaquecido. O Viber, concorrente do WhatsApp, foi comprado pela japonesa Rakuten por US$ 900 milhões na semana passada.

Veja também

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?