Tecnologia

E-COMMERCE

SERGIPE MONTA MAIOR PARQUE TECNOLÓGICO DO NE

O Estado de Sergipe ingressou com estilo no mundo da alta tecnologia. Na semana passada, o governador João Alves Filho inaugurou uma versão local de parque tecnológico na qual empresas públicas, privadas e universidades poderão desenvolver projetos de ponta e inovações para os seus negócios. Com 1 milhão de metros quadrados, o ParqTec abriga companhias como a operadora de telefonia móvel Vivo, Telemar, Petrobras, Siemens, a mineradora Vale do Rio Doce. A área, que corresponde a 143 campos de futebol, fica localizada nas proximidades da capital e próxima do aeroporto
e das principais rodovias que cruzam o Estado. ?É uma iniciativa
que merece nosso aplauso?, afirma Alexandre Moura, vice-presidente da Softex, entidade que reúne empresas emer-
gentes de tecnologia em todo o País.

Desenvolvimento. Moura é fundador da LightInfocom e um dos pioneiros em tecnologia na Paraíba, onde ajudou a desenvolver o parque de Campina Grande, que tem uma área de 50 mil metros quadrados. ?Sem ciência e tecnologia o Nordeste não sai do atual estágio econômico?, diz Moura. O modelo escolhido para o ParqTec foi elaborado a partir de análises tomadas em similares em todo o Brasil. Foram estudadas experiências em Pernambuco, Santa Catarina e Paraná. O modelo de Sergipe guarda semelhanças com uma inciativa no município paranaense de Pato Branco. ?Queremos atrair empresas de perfis diferentes e assim ganhar diversidade e força econômica na região?, diz Tácito Antonio Melo, secretário de Indústria e do Comércio de Sergipe.

DOIS EM UM

A texana OneDisc Technology criou um CD que pode ser usado de ambos os lados, como os antigos LPs de vinil. Os produtos contêm uma face DVD com imagens e no outro lado um CD de música. Quem gostou da novidade foi a empresa Warner Bros, que já lançou nos mercados europeu e asiático cerca de 70 CD-DVDs com canções de um lado, e do outro seus videoclipes ou documentários com os artistas. O próximo passo é vender um filme em DVD com a sua trilha sonora em um mesmo produto.

CURSOS GENÉRICOS

A Impacta Tecnologia é uma rede de ensino de informática que descobriu um nicho de mercado bem lucrativo. O diretor da companhia, Célio Antunes, percebeu que havia uma grande demanda pelos cursos de certificação que empresas como a Microsoft, Cisco e Oracle oferecem em todo o País. Em algumas situações, os diplomados nessas especializações ganham mais destaque no mercado que alunos formados em universidades de segunda linha. Com esse mercado à disposição, Célio montou uma série de cursos genéricos dessas empresas mais baratos e mais acessíveis. ?Nossa qualidade é a mesma da Cisco, por exemplo?, afirma o diretor da Impacta.

PEQUENOS EM DIFICULDADES

Metade das 2.300 maiores companhias de software existentes atualmente no mundo não estará viva daqui a dois anos. Esta é a conclusão de um estudo recente do instituto de pesquisas na área de tecnologia Gartner. A alta taxa de mortalidade será estimulada pela consolidação do setor, que não deixará muito espaço de sobra para as pequenas companhias. Quem pretende continuar em operação terá
de descobrir um nicho de mercado.

SPAM CONTRA SPAM

Henrique Hovoruski, da Logical Choice, encontrou um jeito diferente de vender seu software que bloqueia as mensagens indesejadas: enviou centenas de arquivos para pessoas que recebiam muitos spams. Uma delas foi Paulo Roque, diretor da Divertire. O empresário gostou tanto do software que o lançou no mercado a R$ 49. O Spamfobia bloqueia mensagens com dados alterados, como o nome do remetente ou seu provedor. Além disso, também tem uma modalidade de ataque: ele inviabiliza a caixa postal de um remetente que tenha mandado um spam disparando um contra-ataque com centenas de mensagens na direção contrária.

PREÇO MENOR

Companhias americanas e européias que terceirizam a produção de software na Índia estão exigindo preços mais baixos. A pressão é um reflexo da competição promovida por empresas de tecnologia russas, filipinas, chinesas e brasileiras, que hoje oferecem serviços por um valor muito atrativo. As companhias indianas como Tata Technologies e Wipro estão sendo obrigadas a reduzir preços ou comprar empresas nos países
rivais para se proteger.

COMPUTADOR VAI JUNTO

Os provedores de internet dos Estados Unidos estão subsidiando a compra de computadores para seus clientes. Quem adquirir algum dos pacotes por um ano da America Online ganha a chance de ter um computador, impressora e monitor por apenas US$ 299. No último trimestre, a companhia perdeu 846 mil clientes para
os concorrentes que ofereciam preço
menor e acesso mais rápido. Não há previsão
da novidade chegar no Brasil.

NOVO MERCADO

A Adobe quer ampliar seu raio de negócios. Conhecida pelos seus programas de editoração (Photoshop, InDesign e Acrobat), a companhia desenvolveu uma tecnologia que transforma os documentos em arquivos com processamento independente. Nesse modelo, ao preencher uma proposta de um seguro, o cliente terá a resposta em tempo real.

TELEFONE MUDO

As operadoras de telecomunicações já não instalam mais telefones fixos como antigamente. Desde o início do ano, o número de linhas evoluiu no País de 49,3 milhões para meros 49,4 milhões, de acordo com os dados da Agência Nacional de Telecomunicações. O aumento foi 0,19%. A apatia é tanta que o número total de telefones públicos chegou a registrar uma leve redução. Dos 1,36 milhão de orelhões de janeiro, hoje existem 1,32 milhão.