Tecnologia

QUARK VAI À GUERRA

A área de softwares de editoração eletrônica no Brasil passará por uma pequena turbulência nos próximos meses. A ação partirá de um dos líderes de mercado, a americana Quark. A companhia vendeu nos últimos seis anos 15 mil cópias oficiais do seu software, mas nos últimos tempos está enfrentando uma pesada concorrência do InDesign, da Adobe Systems. Agora, a Quark decidiu ser mais agressiva. ?Vamos mudar um pouco do nosso perfil para chegar a novos clientes?, afirma Márcia Guedes, representante da empresa no País. A estratégia da Quark para o Brasil envolveu o próprio presidente mundial, Fred Ebrahimi. Em setembro do ano passado, ele desembarcou em São Paulo para traçar pessoalmente a estratégia de reação.

A Quark começará reduzindo o valor do software, que hoje  custa US$ 1,4 mil. A intenção é reduzir o preço do produto
em 40%. Também será lançada uma versão em português para atender a demanda de alguns clientes que encontram dificuldades em trabalhar com o software. A estratégia também aposta em oportunidades fora do mercado editorial, onde o software é bem conhecido. ?Há milhares de pequenas e médias empresas no País com potencial de usar o nosso produto?, diz Márcia Guedes. Todo esse trabalho está sendo desenvolvido sob a consultoria do ex-presidente da Apple no Brasil, Luciano Kubrusly, atualmente no comando da fabricante de eletroeletrônicos Oregon Scientific. ?Vamos dar maior visibilidade ao software como nunca foi feito antes?, diz Kubrusly. O mercado brasileiro é importante para a Quark em função das suas dimensões e a empresa não quer perder um único milímetro do território que já conquistou.