Mercado Digital

O primeiro bilionário da Telesp Celular

Há poucos meses, Risto Siilasmaa era apenas um nome impronunciável. No milionário mercado de programas de segurança para computadores, o empresário finlandês também era pouco conhecido. Sua empresa F-Secure ? que faturou US$ 23 milhões em 1999 ? era uma anã, se comparada a rivais americanas como Network Associates e Trend Micro. Mas desde então as coisas mudaram. E agora todos vão ouvir falar muito deste homem. A F-Secure foi a primeira empresa do mundo a lançar uma rede de segurança para o mercado mais dinâmico e atraente da Internet, o da telefonia celular. Siilasmaa vem ganhando notoriedade proporcional ao crescimento da sua idéia. O empresário brincalhão de 34 anos, pai de uma filha de 2, tornou-se o homem mais rico da Finlândia. Foi o primeiro do país a acumular US$ 1 bilhão. Detalhe: o mais famoso empresário daquele país, o presidente da Nokia, Jorma Ollila, tem um patrimônio de (comparativamente) míseros US$ 100 milhões. Desde novembro, quando a F-Secure abriu capital na Bolsa de Helsinque, tanto as ações da empresa quanto o patrimônio pessoal de Siilasmaa subiram 1.000%. E devem crescer muito mais. ?Grana para mim não significa nada?, disse Siilasmaa à DINHEIRO. ?Para ser sincero, eu odeio isso. Estou mais preocupado com a empresa do que com a minha fortuna pessoal.?

O projeto da F-Secure é ambicioso, mas seu currículo na telefonia celular e a amizade de Siilasmaa com os executivos da Nokia vêm abrindo todas as portas. A F-Secure também desenvolve aplicativos de segurança para gigantes como Ericsson, HP e Cisco. ?Enquanto a Europa e os Estados Unidos pensavam soluções para a rede, nós estávamos adiante?, explica o empresário. Com a tecnologia criada pela F-Secure, toda a segurança é controlada remotamente. Ou seja, há uma rede de gerenciamento central, mas todos os aparelhos ? palmtops e, principalmente, celulares ? estão livres de hackers e vírus, todo o tempo e em qualquer lugar ou país. Isso graças a um sistema de criptografia (ou codificação secreta) instalada nos aparelhos celulares, que faz com que todas as informações sejam protegidas. ?É nossa reviravolta. Crescemos no mercado e vamos explodir quando bilhões em todo o mundo estiverem usando telefonia móvel celular?, explica Siilasmaa. Não se trata de chute. A Finlândia é vista como o centro da revolução de Internet móvel, pois 75% da população possui telefones celulares. Para o resto do planeta, calcula-se que por volta de 2005 o acesso remoto à rede será maior que o via computador.

A história de Siilasmaa é parecida com a de muitos empreendedores dos novos tempos. Começou muito jovem, aos 12 anos, programando joguinhos de computador ? que repartia entre os amigos. Durante as noites, trabalhava em um açougue numa loja de departamentos. ?Era um hobby?, lembra ele. Resolveu fazer um curso de tecnologia, na Universidade de Helsinki. Pouco tempo depois estava criada a F-Secure, uma empresa de consultoria e desenvolvimento de softwares. Como um de seus amigos era especializado em segurança, resolveram lançar um programa antivírus. Foi o primeiro de uma série. Vieram os sistemas de criptografia ? embaralhamento de dados que permite, por exemplo, a segurança de informações quando os usuários compram com cartão de crédito na rede ? e os famosas programas de segurança empresariais, os chamados firewall. Por enquanto, a maior visibilidade da F-Secure concentra-se nos países escandinavos e na Europa. Nada mais natural para este empreendedor do que buscar novos mercados. A solução encontrada para sair dos mares gelados finlandeses e chegar aos trópicos foi a Nasdaq. Em poucos meses, a F-Secure deverá chegar à bolsa eletrônica de Wall Street. E, a partir daí, ganhar a América. ?O Brasil é uma área de crescimento fundamental para nossa empresa?, adianta. ?Será nosso próximo foco.?