Geral

Vozes em conflito

O PAC poderá ter algumas de suas obras adiadas 

Foi o que anunciou Guido Mantega, atual e futuro ministro da Fazenda. Mas nem terminou de fazer o comunicado e o presidente Lula assegurou que nenhum centavo do PAC será cortado. Todos sabemos que Lula continuará tendo grande influência no próximo governo. Mas não fica bem gerar contrariedades públicas. Quem pa-gou o pato foi o ministro Mantega, que desdisse o que tinha dito. Moral da história: Dilma Rousseff vai sofrer um bocado a cada vez que Lula fizer declarações políticas. Sobre governo, então… 

 

 

1 – Crise

Contrata-se

 

Não obstante o esforço pessoal de Oscar Clarke, presidente da HP Brasil, há uma nuvem negra so-bre a empresa. Diretores continuam debandando. Se não trocam de empresa, os altos executivos da companhia saem mesmo sem ter para onde ir. O clima não está nada bom.  Os motivos? Recentes aquisições da empresa teriam tornado os processos internos lentos. A subsidiária estaria presa demais às ordens vindas dos EUA. Para piorar, a HP teria cortado benefícios e bônus de seus executivos. 

 

36.jpg

 

 

2 – Hotelaria

Missoni

 

Em visita ao Brasil, para uma palestra na CasaCor, Rosita Missoni, fundadora da marca que leva seu sobrenome, anunciou a construção de uma filial do Hotel Missoni no Brasil, em 2013. Local provável: sul da Bahia. 

 

 

3 – Água 

Edição limitada

 

Após lançar um rótulo em ho-menagem à grife Missoni , a San Pellegrino, da Nestlé, está à procura de novas marcas de prestígio italianas para lançamento de edições especiais da famosa água. Ferrari, Ferraga-mo e Gucci estão na mira.

 

37.jpg

 

 

4 – Restauração

Das cinzas

 

A Porto Seguro vai doar quase R$ 1 milhão para a restauração do Teatro Cultura Artística, na capital paulista, que foi totalmente destruído em um in-cêndio em 2008. No total, as obras de reconstrução consumirão cerca de R$ 75 milhões. Hoje, os técnicos trabalham na restauração do lindo painel do pintor Di Cavalcanti Alegoria das artes, que estava na fachada do teatro. E para lá voltará. 

 

 

5 – Negócios

Expansão

 

Mariângela Bordon não consegue ficar parada. Depois de vender sua linha de cosméticos Ox para o Grupo Bertin, a empresária vai expandir os pontos de venda da sua nova marca, a EOS. Vai aumentar para 12 a rede de lojas-conceito que comercializam todo o portfólio da marca – cerca de 185 produtos – nos mesmos moldes da unidade da Bela Cintra, nos Jardins, na capital paulista. A largada será dada em Brasília e no Rio de Janeiro.

 

 

6 – Autos

Aro 18

 

As vendas de pneus da norte-americana Goodyear na América Latina cresceram 17% no terceiro trimestre de 2010, em relação a 2009, totalizando US$ 569 milhões, um aumento de 4%. Mas, apesar das altas, o lucro operacional da Goodyear foi de US$ 95 milhões, redução de 4% em relação ao ano passado. A culpada? A desvalorização da moeda venezuelana, que puxou o lucro de toda a companhia para baixo, já que o Brasil e outros mercados da América do Sul registraram alto volume de vendas. 

 

35.jpg

 

 

7 – Vendas 

Banho de cheiro 

 

A parceria da cantora baiana Claudia Leitte com a Jequiti, empresa do Grupo Silvio Santos, continua rendendo bons frutos. O perfume com o nome da artista, lançado em outubro, acaba de bater a marca de 100 mil unidades vendidas.

 

32.jpg

 

 

8 – Natal

Doce natal

 

A produção natalina do Grupo CRM, detentor das marcas Kopenhagen e Brasil Cacau, chegou a 114 toneladas de chocolates, 63% a mais do que a produção do ano passado. O Natal é responsável por 20% das vendas, e só perde para a Páscoa, que corresponde a 30% da receita. O gru-po, comandado por Celso Ricardo Moraes, deve fa-turar, só nas festas de fim de ano, R$ 52 milhões.

 

33.jpg

 

 

9 – Transportes 

Carga pesada

 

Os eletrodomésticos fo-ram os responsáveis pelo aumento da receita do grupo de transportes holandês TNT no Brasil. A empresa, que faturou 10,4 bilhões de euros em todo o mundo, deve fechar o ano no Brasil com crescimento de dois dígitos, 15% a mais que em 2009. E a carga deve ficar ainda mais pesada neste final de ano. A empresa já trabalha over capacity. 

 

 

10 – Destino

Silken Gran Hotel Domine, Bilbao, Espanha

 

O Silken Gran Hotel Domine é um dos hotéis mais diferentes e interessantes da frenética Bilbao, cidade mais populosa do País Basco, na Espanha. O hotel não podia ocupar localização mais privilegiada: fica bem em frente a um dos mais importantes museus do mundo, o Guggenheim. Inspirado em seu vizinho, o primeiro hotel cinco-estrelas da rede Silken se destaca por suas peculiares arquitetura e decoração, assinadas pelos mais respeitados designers do mundo. O hotel faz parte da The Leading Hotels of The World. Diárias médias de 400 euros.www.hoteles-silken.com/gran-hotel-domine-bilbao

 

34.jpg

 

 

11 – Fim do ano

Na moda

 

Os tradicionais pa-netones e cestas de Natal estão ficando no passado. A moda entre grandes em-presas é presentear funcionários com cartões-presentes. Mais práticos e sustentáveis, os cartões  eletrônicos ganham adesão de quem dá e, principalmente, de quem recebe.  

 

 

12 – Objeto de desejo

Diamonds forever

 

Já chegou ao Brasil o mais novo lançamento da badalada relojoaria suíça Hublot. O Big Bang promete arrebatar a clientela feminina neste final de ano. Cravejado com 320 diamantes, o Big Bang é flexível e permite diferentes configurações ao gosto do freguês. A caixa pode ser de ouro vermelho 18 quilates ou de aço e você pode escolher as pulseiras: de caucho, pele de crocodilo, aço ou ouro. O vidro é de cristal de safira com tratamento antirreflexo interior e exterior. O preço? Só sob consulta.

 

31.jpg

 

 

13 – Entrevista

 

30.jpg

Randal Zanetti, presidente da OdontoPrev

 

A OdontoPrev, maior operadora de planos odontológicos na América Latina, comemora crescimento de 76% no faturamento no terceiro trimestre, em relação a 2009, e se prepara para enfrentar novos concorrentes. Confira na entrevista com Randal Zanetti, presidente da OdontoPrev. 

 

Líderes – A que se deve o expressivo aumento de 76% no faturamento no terceiro trimestre de 2010?


Randal Zanetti –  O desempenho da companhia no último trimestre reflete efetivamente e pela primeira vez a fusão com a Bradesco Dental. Muito desse crescimento é proveniente desse processo de fusão. Esperamos crescer ainda mais em 2011, quando teremos de fato todos os processos da OdontoPrev e da Bradesco Dental integrados. Por ora, estamos muito satisfeitos, obviamente.

 

 

Líderes – Como a OdontoPrev vê a entrada da Unimed Odonto no mercado?


RZ – Trabalhamos num segmento muito competitivo com importantes empresas, dos mais diversos perfis, como as multinacionais, que são líderes do setor em seus países de origem. A Unimed Odonto é mais um player nesse mercado. Obviamente, a empresa nasce de uma forma muito diferenciada em relação aos outros concorrentes, já que chega com o peso do nome Unimed. A verdade é que há espaço para todos.  O setor tem crescido a taxas muito grandes. 

 

 

Líderes – As parcerias da OdontoPrev com o sistema Unimed serão mantidas?


RZ –  Temos relações muito estreitas com o sistema Unimed e parcerias muito importantes. Se depender da gente, todas serão mantidas, independentemente da criação da Unimed Odonto. Vamos continuar trabalhando para preservar as relações que conquistamos até agora.

 

 

Aprovado

 

Crédito - A concessão de crédito disparou em novembro. Os principais responsáveis foram os consumidores de baixa renda, que puxaram a alta do crédito, 6,2% em comparação a outubro. Bom para o setor imobiliário e bom para a economia. Ambos seguem aquecidos. 

 

 

Reprovado


Campeão - Brasil, Argentina, Venezuela e México são responsáveis por 79% das emissões de gases que causam o efeito estufa na América Latina, indica relatório divulgado na COP 16. O Brasil sozinho é responsável por 52% das emissões. Está na hora de repensar nossas políticas ambientais. 

 

Com Mariana Garbin e Daniela Filomeno Pereira