Finanças

O Big Brother chinês

Você não conhece a WeCash, empresa chinesa que chega ao Brasil para disputar o mercado de avaliação de crédito? Deveria, pois ela já sabe muito sobre você

O Big Brother chinês

Madeira: avaliação rápida com base nas informações das redes sociais (foto: Claudio Gatti)

Você nunca ouviu falar de Zhi Zheng Chun, empreendedor chinês de 42 anos, nascido em Pequim e formado em física e economia. Não se culpe, as referências a ele são escassas. Mesmo assim, é provável que ele conheça muito mais do que você gostaria sobre sua própria vida: seus hábitos de consumo, as roupas que você compra, os lugares que frequenta com seus amigos. Zhi é o fundador da WeCash. Criado em Pequim em 2013, esse autêntico Big Brother chinês não está interessado no que você pensa, mas na sua capacidade de pagar o que deve.

A WeCash calcula seu risco de crédito avaliando, além do seu cadastro bancário, suas informações disponíveis nas redes sociais. “Se o candidato a um empréstimo afirma ter um salário de R$ 2.000 por mês e o perfil dele nas redes sociais mostra um estilo de vida acima desse padrão, pode ser que ele esteja vivendo acima dos seus meios”, diz Roger Madeira, principal executivo da WeCash no Brasil. Em atividade por aqui desde o início de dezembro, a empresa veio disputar o mercado de companhias como Serasa, BoaVista e SCPC.

A princípio recebendo uma comissão a cada vez que um banco concede um empréstimo com base em suas análises, a WeCash espera, ainda no primeiro semestre, cobrar pelas avaliações de risco, e, assim, mergulhar em um negócio que movimentou cerca de R$ 5 bilhões em 2016. Não por acaso, os grandes bancos de varejo estão lançando sua própria empresa de avaliação de risco, a Gestora de Informações de Crédito (GIC). Lançada em meados do ano passado, a GIC deve reduzir os gastos das instituições financeiras com essas pesquisas. Além da avaliação, a WeCash atua em outros setores.

Segundo Jerry Huang, professor da Universidade de Warwick, na Inglaterra, e autor de um estudo sobre a empresa publicado em novembro de 2016, a WeCash também opera com microcrédito, concedendo empréstimos de até US$ 800 para cerca de 800 mil chineses. As estimativas são de que há 63 milhões de clientes cadastrados. Huang considera a empresa um modelo de crescimento rápido, devido ao uso intensivo de tecnologia. “Os algoritmos permitem analisar um perfil e aprovar um empréstimo em até 15 minutos, o que oferece uma enorme vantagem competitiva junto a clientes sem relacionamento bancário”, escreveu ele.