Economia

De volta ao Twitter, Trump alfineta New York Times

Depois de prometer que vai moderar seu uso do Twitter, Donald Trump passou o domingo (13) bastante ativo na rede social, onde aproveitou para criticar o jornal The New York Times, um de seus desafetos na imprensa americana.

“Uau, o @nytimes está perdendo milhares de assinantes por sua imprecisa e muito pobre cobertura do ‘fenômeno Trump'”, tuitou o magnata, logo cedo neste domingo, atacando a cobertura das eleições feita pelo jornal.

“O @nytimes enviou uma carta para seus assinantes, desculpando-se por sua cobertura RUIM sobre mim. Eu me pergunto se vai mudar – duvido”, voltou a tuitar.

Donald Trump também tuitou sobre outros temas, indo da proliferação nuclear à sua entrevista à rede CBS, que será transmitida esta noite.

O magnata nova-iorquino contou ter recebido felicitações dos ex-presidentes George Bush pai e filho, assim como de Jeb Bush, pré-candidato derrotado nas prévias republicanas deste ano.

“Jeb Bush, George W e George H.W. ligaram para expressar seus melhores desejos pela vitória. Muito lindo!”, tuitou.

Ele lembrou ainda dos debates presidenciais contra sua oponente democrata, Hillary Clinton, “em especial o segundo e o terceiro, além dos discursos e da intensidade dos grandes comícios, além dos NOSSOS GRANDES SEGUIDORES, que nos deram a vitória”.

“O fato de que tenha esse poder em termos de números com Facebook, Twitter, Instagram, etc., acho que me ajudou a ganhar em uma corrida, na qual outros gastaram mais dinheiro do que eu. E eu ganhei”, declarou o magnata, de acordo com trechos antecipados da entrevista.

Sua conta no Twitter tem quase 15 milhões de seguidores.

Na entrevista que será transmitida esta noite pela CBS, Trump volta a afirmar que fará um uso mais moderado – ou nenhum – das redes sociais.

“Vou fazer de forma muito restrita, ou não usarei de modo algum”, prometeu.