Economia

Multidão no Malauí ateia fogo em sete pessoas suspeitas de bruxaria

Uma multidão no Malauí ateou fogo e matou sete pessoas suspeitas de tráfico de ossos humanos, que costumam ser utilizados em bruxaria, informou a polícia nesta quarta-feira.

As vítimas estavam “em posse de ossos humanos e a multidão decidiu queimá-las” na terça-feira com gasolina no distrito de Nsanje, no sul do Malauí, explicou à AFP um responsável policial, Kirdy Kaunga.

Segundo uma autoridade local, Tengani (seu único nome), vizinhos começaram a suspeitar dos gestos de uma das sete pessoas, que carregava uma bolsa com ossos.

“Perseguiram o homem e o detiveram”, explicou Tengani à AFP. “Aparentemente ele confirmou que na bolsa havia ossos humanos e nesse momento uma multidão começou a se reunir e a queimar um por um” os sete suspeitos.

A polícia não realizou nenhuma detenção.

As autoridades investigavam nesta quarta-feira se os ossos pertenciam a albinos.

Em vários países da África subsaariana, os membros e ossos de albinos são utilizados para rituais, já que se acredita que concedem riqueza e poder.

O albinismo, uma doença genética hereditária que se traduz por uma ausência de pigmentação da pele, afeta uma em cada 1.200 pessoas no Malauí.