Economia

O ajuste da Rússia

Quem diz é o economista Jeffrey Sachs: o país está no caminho correto

Desde que voltou à presidência da Rússia, em 2012, Vladmir Putin vê o PIB de seu país desacelerar a cada ano. Para reverter esse processo, ele aposta na atração de investimentos e torrou mais de US$ 50 bilhões na Olimpíada de Inverno em Sochi, tornando a o evento esportivo mais caro da história. Mas a situação da economia russa está tão boa assim para um gasto dessa magnitude? Segundo o FMI, a Rússia deve ter crescido apenas 1,5% em 2013, ante 3,4% no ano anterior e 4,3% em 2011. Já a inflação continua longe da meta. São desempenhos parecidos com os do Brasil, mas as coincidências param por aí. 

 

116.jpg

 

 

A economia russa tem sido considerada menos vulnerável por possuir baixo endividamento e uma conta-corrente equilibrada, graças às exportações de petróleo. Além disso, de acordo com o Banco Mundial, a pobreza extrema está perto de zero. Para o economista Jeffrey Sachs, da Columbia University, a Rússia está no caminho correto e o país tem um potencial de desenvolver a indústria de alta tecnologia. “Isso exige um ambiente de negócios que incentive investimentos do setor privado, inclusive a abertura para participantes estrangeiros”, escreveu Sachs em um artigo para o Project Syndicate. Confira, ao lado, os indicadores russos comparados com os brasileiros. 

 

117.jpg