Economia

Quem vencerá?


Há uma contagem regressiva no campo. A partir do dia 10 de outubro, os agricultores começam a plantar a soja da próxima safra, mas ainda não sabem se as sementes transgênicas poderão ser cultivadas. Na última semana, o governo parecia disposto a editar uma medida provisória para liquidar a fatura, liberando o plantio. Na última hora, porém, a ministra do Meio Ambiente chorou, ameaçou deixar o PT ? e o governo recuou. Em vez de uma MP, a decisão ficará nas mãos do Congresso. Enquanto ela não sai, os agricultores se impacientam. ?Não temos alternativa?, conta o produtor Felisberto Dornelles, de Cruz Alta, no Rio Grande do Sul, onde 95% da produção de soja é geneticamente modificada. ?Tem que ser transgênico e ponto.? Num ambiente de incerteza, os produtores vêm tendo problemas para obter recursos nos bancos. É por isso que, no governo, o ministro Roberto Rodrigues tem pressa. ?Os estudos foram feitos e comprovam que o plantio será seguro?, disse o ministro. O caso também envolve uma questão de poder. A ministra Marina Silva quer que seu ministério tenha autoridade de veto na questão. Pelo projeto, as divergências serão sanadas por um conselho de ministros ? e não por uma área isolada. ?Não podemos ficar para trás?, disse Blairo Maggi, governador do Mato Grosso, à DINHEIRO. Em alguns casos, Maggi calcula que o cultivo de sementes modificadas traga ganhos de até 20%.