Dinheiro em Ação

Embraer voa para a Noruega

Embraer voa para a Noruega

A companhia aérea regional norueguesa Widerøe assinou um contrato com a Embraer para a compra de 15 jatos, sendo três pedidos firmes para o modelo E190-E2, de 106 assentos, e opção de compra para mais 12 aeronaves. Segundo a Embraer, o acordo pode gerar vendas de até US$ 873 milhões se todas os opções de compra forem exercidas a preço de tabela. Os pedidos foram incluídos na carteira da fabricante do quarto trimestre do ano passado e as entregas estão previstas para 2018. Segundo analistas, apesar de o número de pedidos firmes ser relativamente pequeno em comparação com a produção total da Embraer, a diversificação da base de clientes é vista como positiva. No ano passado, a companhia entregou 225 aviões.

 

 

Celulose

Suzano vai gerar energia

A Suzano Papel e Celulose comprou uma pequena central hidrelétrica da empreiteira Queiroz Galvão, empresa investigada pela Operação Lava Jato, por US$ 14 milhões. Localizada em Minas Gerais, a usina Mucuri pode gerar 19 megawatts/ano. A aquisição ainda precisa ser aprovada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). No ano, as ações PNA da Suzano Papel caem 6%.

 

 

Touro x Urso

Em semana marcada por realização de lucros de ações ligadas ao minério de ferro, a Bovespa acumula alta de 7,2% até 19/01. A entrada de dinheiro novo impulsionou a alta. Os investidores internacionais ignoraram as incertezas com a posse de Donald Trump e trouxeram, em termos líquidos, R$ 2,96 bilhões ao mercado brasileiro até a terça-feira 17.

 

 

Energia

Conselho “made in China”

Cinco chineses, indicados pela State Grid, empresa que comprou o controle da CPFL por R$ 12 bilhões, foram indicados para ocupar cadeiras nos conselhos de administração e fiscal da CPFL Renováveis, braço de energias limpas da holding CPFL. Todos são funcionários da State Grid. As nomeações ainda precisam ser aprovadas na assembleia geral ordinária de acionistas, em 16 de fevereiro. Em 12 meses, as ações da CPFL Renováveis subiram 1,8%.

 

 

Destaque no pregão

Pão de Açúcar amargo para o Casino

Ao apresentar os resultados do quarto trimestre em Paris, na terça-feira 17, Antoine Giscard d’Estaing, diretor financeiro global do Casino, controlador do Grupo Pão de Açúcar (GPA) quis vender uma imagem otimista. Ele disse acreditar no aumento das vendas e do lucro neste ano. Os analistas, porém, não compraram a ideia. O crescimento das vendas no varejo alimentar na subsidiária brasileira, segunda maior operação do grupo, ficaram abaixo do esperado. Considerando lojas abertas há mais de um ano, o crescimento desacelerou para 7,7% no quarto trimestre, ante 8,2% no trimestre anterior. Os analistas da Citi Corretora, por exemplo, previam um aumento de 11,3%. As vendas só estão crescendo bem no atacarejo Assaí, que registrou um avanço de 17,3%. Já no Pão de Açúcar e no Extra, a alta foi de apenas 3,7%.

Palavra do analista: 
O time de analistas da Citi Corretora mantém a recomendação neutra para o GPA, por conta da ausência de catalisadores de curto prazo. O preço-alvo alvo de R$ 61,80 reflete a expectativa de compressão de margem do varejo.

 

 

Quem vem lá

Movida e Unidas puxam frota dos IPOS

Duas grandes empresas do setor de transportes vão estrear na Bolsa. A Movida, empresa de locação de veículos da JSL, pretende vender 71,46 milhões de ações ordinárias na oferta primária, além da distribuição, secundária, de 6,74 milhões de papéis da controladora. Cada ação custará entre R$ 8,90 e R$ 11,30. Ao valor médio de R$ 10,10 por papel, isso renderia R$ 789,8 milhões. Já a Unidas, de gestão de frotas e locação de veículos, vai oferecer 46,1 milhões de ações, em oferta primária e secundária, com preço estimado entre R$ 15,15 e R$ 18,71, o que poderia levantar até R$ 864,3 milhões com a oferta.

 

 

Mercado em números

BR Pharma
R$ 374 milhões –
 É o quanto a companhia, controlada pelo BTG Pactual, pretende levantar em sua nova emissão de debêntures, cujos títulos custarão R$ 1 milhão cada

Petrobras
R$ 81,1 milhões –
 É o valor a ser pago pela Rolls-Royce à estatal, que inclui o lucro de seis contratos e comissões, investigados pela Operação Lava Jato. O acordo ainda precisa do aval da Justiça

Prumo Logística
R$ 10,51 –
 É o valor proposto pela Brasil Plural por ação da companhia, que opera o Porto do Açu e pretende realizar uma oferta pública de aquisição (OPA) para a saída da bolsa

Vale
26,5 mil toneladas –
 É a carga do primeiro embarque de minério de ferro produzido na mina S11D, que entrou em operação neste ano e que prevê produzir 90 milhões de toneladas de minério de ferro ao ano

BM&FBovespa
25 – 
É o número de companhias que saiu da bolsa brasileira nos últimos três anos. Neste período, houve apenas uma oferta inicial pública por ano