Dinheiro em Ação

A controversa aposta da Gerdau

A controversa aposta da Gerdau

A gaúcha Gerdau surpreendeu o mercado na segunda-feira 14 ao anunciar que investiria R$ 1,97 bilhões para a compra de participações minoritárias em quatro empresas que já controla. As aquisições fazem parte de uma reorganização que vai dividir os negócios do grupo em quatro divisões. O investimento representa cerca de 20% do valor de mercado da siderúrgica presidida por André Gerdau Johannpeter e vai provocar gastos imediatos de R$ 339 milhões. O mercado não gostou. No dia do anúncio, as ações PN da empresa caíram 7,25% e não haviam se recuperado até a quinta-feira 16. O pedido de demissão de André Pires de Oliveira Dias, diretor de Relações com Investidores, anunciado no dia seguinte ao anúncio, contribuiu para intranquilizar o mercado. No ano, as ações caem 30,95%

Palavra do analista:
Segundo Aldo Moniz, analista da corretora carioca UM Investimentos, a aquisição pode gerar sinergias e ganhos de escala, mas foi anunciada em um momento ruim. Para ele, a empresa está endividada e notícias de gastos não são bem-vindos. “O mercado ainda não sabe o que esperar dessa decisão”. Ele recomenda manter o papel.

Aviação

Pedidos da Embraer decolam

Os pedidos firmes da Embraer chegaram a um recorde de US$ 22,9 bilhões, no fim do segundo trimestre, um recorde histórico e uma alta de 12,25% em relação aos US$ 20,4 bilhões registrados no fechamento do primeiro trimestre. A empresa entregou 60 aeronaves entre abril e junho, e o modelo mais representativo das vendas foi o E 175, dedicado à aviação comercial. No ano, as ações da empresa recuam 1,2%.

Touro x Urso

Depois de subir no primeiro semestre, o índice Bovespa permanece sem tendência definida em julho, devido à incerteza com relação à crise na China e ao ritmo de elevação dos juros nos Estados Unidos. O fato de a demanda chinesa afetar ações importantes para o índice, como a Vale, deverá manter o mercado em suspense.

Petróleo

S&P mantém grau de investimento da Petrobras

A agência de classificação de risco americana Standard & Poor’s (S&P) manteve, na terça-feira 14, a classificação de risco da Petrobras em BBB, preservando o grau de investimento da estatal presidida por Aldemir Bendine. A justificativa da S&P foi de que é “muito alta” a probabilidade de que a Petrobras seja socorrida pelo governo em caso de problemas, somada à avaliação positiva do plano estratégico, que dá prioridade à redução de suas dívidas. No entanto, a agência manteve a perspectiva (“outlook”) da Petrobras como negativa, devido ao endividamento ainda elevado.

Mineração

Vale vende menos e ação sobe

Para a Vale, menos é mais. No caso, extrair menos minério de baixo preço para se concentrar em produtos mais valorizados, e assim lucrar mais. Essa foi a estratégia adotada de agora em diante, anunciou, na segunda-feira 13, Peter Poppinga, diretor de ferrosos da Vale. A empresa deverá reduzir a oferta de minério em 25 milhões de toneladas para aliviar a pressão de baixa sobre os preços. “Isso impacta muito os resultados da Vale, pois as vendas de minério de ferro representam 64% das receitas”, diz Aldo Moniz, analista da corretora carioca UM Investimentos. Com o anúncio, as ações PNA da Vale subiram 7% na segunda-feira 13, aliviando parte das quedas do ano.

Informática

A Positivo avança na África

A Positivo Informática informou, na terça-feira 14, que começou a produzir computadores e tablets na cidade de Kigali, capital de Ruanda, país localizado no centro da África. A meta é produzir 60 mil unidades ao longo dos próximos cinco anos, por meio de uma joint-venture fechada com a empresa de informática argentina BGH. A intenção da empresa é se posicionar no mercado africano com produtos de maior valor agregado. Um relatório da empresa de análise independente Empiricus considera acertada a diversificação em um momento ruim para a economia brasileira, mas lembra dos riscos sociais e políticos do continente. As cotações estão estáveis em relação ao início do ano, mas vêm apresentando fortes oscilações.

Mercado em números

BANCO DO BRASIL 
R$ 5,1 bilhões –
 É o total destinado pelo banco a financiamentos de project finance, entre 2011 e 2015. Ao todo, o BB atuou em 35 mandatos.

ELETROBRÁS
R$ 1,07 bilhão –
 É o valor de indenização por uso de ativos de transmissão que a Eletrosul, controlada da Eletrobrás, tem a receber, segundo determinação da Aneel

EDP – ENERGIAS DO BRASIL 
R$ 390 milhões –
 Foi o valor de venda da Pantanal Energética, geradora do Mato Grosso do Sul com capacidade de 51,1 MW, para a paranaense Cachoeira Escura.

SER EDUCACIONAL
R$150 milhões –
 É quanto a empresa pretende captar com sua primeira emissão de debêntures simples. Os papéis terão cinco anos de prazo e pagarão juros de 2,5% ao ano mais CDI.