PUBLIEDITORIAL

North Soluções Financeiras aposta em sua nova unidade de negócios: Inteligência em Cobranças

Fundada há cinco anos, companhia pretende fortalecer sua carteira de crédito e expandir sua área de inteligência para cobranças

Crédito: Divulgação

North Soluções Financeiras aposta em sua nova unidade de negócios: Inteligência em Cobranças (Crédito: Divulgação)

A concorrência no mercado de serviços financeiros segue acirrada. Um número cada vez maior de empresas marca presença nesse universo – principalmente com o avanço das fintechs, securitizadoras, entre outras – e torna-se cada vez mais difícil para essas companhias buscar a diferenciação.

 

Há cinco anos, a North Soluções Financeiras, encontrou essa diferenciação no mercado de originação e monitoramento de recebíveis para FIDCs (Fundo de Investimento em Direitos Creditórios) – ou conhecidos como fundos de recebíveis – multicedentes e multisacados.

 

Os Fundos de Investimentos em Direitos Creditórios são investimentos de renda fixa. Essa modalidade está disponível aos investidores no mercado brasileiro há cerca de 20 anos.

 

Segundo Fabio Ferrão Lazarini, diretor de operações da empresa, a expertise em originação de ativos levou a empresa a investir também no serviço de recuperação de ativos, atividade que vem ganhando cada vez mais espaço  na empresa.

 

Com uma carteira composta por empresas de médio e grande porte, a North Soluções Financeiras também oferece ao mercado soluções de capital de giro por meio de antecipação de recebíveis, antecipação de contratos, antecipação a fornecedores, Cédula de Crédito Bancário (CCB), entre outros.

 

Desafios

Trabalhar diferenciais é fundamental para lidar com a concorrência, na visão da North. Muitas vezes, de acordo com Lazarini, há a dificuldade de encontrar no mercado bons projetos e com aderência aos produtos da empresa para alocar seus recursos.

 

De acordo com Felipe Santos, diretor jurídico responsável pela Unidade de negócios de Inteligência em Cobranças na empresa, os principais problemas estão ligados à má formalização das operações e falta de profissionais especializados para realizar suas cobranças, inclusive as judiciais.

 

FIDCs

Durante a pandemia, o mercado de FIDCs vivenciou um aumento nos índices de inadimplência por conta da redução das operações comerciais. De acordo com o diretor da North, as dificuldades já estão diminuindo com a retomada das atividades econômicas, principalmente dos setores industriais e de serviços.

 

Na parte de crédito, o diretor da North ressalta que os principais entraves encontrados são restrições cadastrais e falta de clareza nas demonstrações financeiras. “Muitas vezes, as companhias têm apontamentos em órgãos governamentais, processos judiciais, entre outros. Além disso, elas não conseguem demonstrar a real situação vivida em números no momento da solicitação do crédito”, enfatiza o diretor.

 

Os últimos dados da associação brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais (Anbima) reforçam essa percepção. Os números da entidade mostram um avanço significativo na captação pelos FIDCs em 2021. Ao todo, foram R$ 31,2 bilhões no primeiro semestre deste ano e em patrimônio total, os FIDCs cresceram 25% no período.

 

Outro aspecto que favorece essa retomada, na qual a North já sente os reflexos em seus negócios, é a busca dos investidores por diversificar suas carteiras devido ao momento de instabilidade vivenciado pelo país e o mundo. “Esse aspecto teve um papel significativo na expansão do setor, proporcionando maior aderência aos FIDCs”.

 

Expansão

Com o mercado retomando o crescimento, os planos da North envolvem acompanhar essa movimentação. Um dos focos de investimento da empresa, segundo o diretor, é o fortalecimento de sua carteira de crédito. Além disso, Lazarini aponta como estratégia da companhia expandir sua unidade de negócio de inteligência em cobranças.