No pulso, uma obra de arte

No pulso, uma obra de arte

“Nos disseram que era impossível fabricar uma máquina horológica em cristal de safira, então fomos lá e fizemos.” O tom de ousadia é habitual da grife suíça MH&F, que apresentou recentemente sua nova linha de relógios de luxo Horological Machine Nº 9 Sapphire Vision.

A inspiração vem das linhas aerodinâmicas automotivas e aeronáuticas dos anos 1940-50: uma cápsula de safira sem linhas retas ou círculos perfeitos exibe o fascinante mecanismo interno em funcionamento.

Para fixar a safira, a marca desenvolveu um processo de ligação composta de alta tecnologia, já que, sem formas planas, o gabinete não pode receber parafusos. Se o design impressiona, os movimentos hipnotizam com as duas rodas de equilíbrio que podem ser observadas com batimento em baixa frequência.

Apenas quatro edições do HM9-SV foram produzidas, limitadas a cinco peças cada, com moldura de ouro vermelho ou branco. Cada uma leva 350 horas para ser finalizada e custa US$ 440 mil (sem impostos). O envio internacional é grátis. No site mbandf.com

(Nota publicada na edição 1209 da Revista Dinheiro)

+ Jaguar Land Rover: a luta contra a falta de confiança dos consumidores

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel


Sobre o autor

Luciana Lancellotti é editora de Estilo da DINHEIRO


Mais colunas e blogs


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.