Política

No Instagram, Haddad ironiza “sumiço” de assessor de Flávio Bolsonaro

O candidato derrotado à Presidência da República pelo PT, Fernando Haddad, tratou com ironia o fato de um ex-assessor do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) ainda não ter se pronunciado sobre “movimentações atípicas” de R$ 1,2 milhão em sua conta corrente detectadas pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), uma semana após o jornal O Estado de S.Paulo revelar o caso. Fabrício Queiroz só deverá dar explicações sobre o caso na semana que vem, quando deverá prestar depoimento ao Ministério Público do Rio.

Em seu perfil no Instagram, Haddad foi questionado por um homem que se apresenta como tiago_caetano86 como faria para pagar a indenização de R$ 79,2 mil ao bispo Edir Macedo, da Igreja Universal do Reino de Deus, por tê-lo chamado de “charlatão” durante a campanha – a decisão contra o petista foi proferida na quarta-feira, 12, pelo juiz Marco Antonio Botto Muscari, da 6° Vara Cível da capital paulista. O homem ainda questionou se Haddad pediria “doações aos pobres” para quitar a dívida, já que “não trabalha”.

Haddad respondeu: “Estou pensando em pedir emprestado pro Queiroz, mas ele tá sumido…”. Em entrevista ao jornal Valor Econômico, publicada na quarta-feira, 12, o petista sugeriu que Flávio Bolsonaro usou o “gabinete para fazer vaquinha para si mesmo”, o que considera “um expediente muito comum no baixo clero”.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel