Economia

Nível do PIB está 3,6% abaixo do pico, registrado no 1º tri de 2014

Com o crescimento registrado no terceiro trimestre, o nível do Produto Interno Bruto (PIB) está 3,6% abaixo do pico, registrado no primeiro trimestre de 2014, o último antes de a economia brasileira entrar no ciclo recessivo que durou até 2016, informou nesta terça-feira, 3, a coordenadora de Contas Nacionais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Rebeca Palis.

Após entrar no ciclo de retração, no segundo trimestre de 2014, o PIB caiu até atingir o ponto mais baixo, no quarto trimestre de 2016. Desde que voltou a crescer e, portanto, deixou a recessão para trás, a partir do primeiro trimestre de 2017, o PIB brasileiro acumula alta de 4,9% até o terceiro trimestre deste ano, disse ela. Em nível, o PIB do terceiro trimestre está no mesmo patamar do terceiro trimestre de 2012.

Para a pesquisadora do IBGE, o ritmo de crescimento do PIB no terceiro trimestre é o mesmo do segundo trimestre. No período de julho a setembro, houve alta de 0,6% no PIB ante o trimestre imediatamente anterior. No período de abril a junho, a alta foi de 0,5%, na mesma base de comparação. A diferença é estatisticamente irrelevante, disse Rebeca.

“É uma melhora mais ou menos contínua, mas não muito acelerada”, afirmou Rebeca.

Veja também

+Caixa paga hoje (13) auxílio emergencial para nascidos em maio

+Soros produzidos por cavalos têm anticorpos potentes para covid-19

+ Avó de Michelle Bolsonaro morre após 1 mês internada com covid-19

+ Nazistas ou extraterrestres? Usuário do Google Earth vê grande ‘navio de gelo’ na costa da Antártida

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Carol Nakamura anuncia terceira prótese: ‘Senti falta de seios maiores’

+ Ex-Ken humano, Jéssica Alves exibe visual e web critica: ‘Tá deformada’

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?