Edição nº 1112 15.03 Ver ediçõs anteriores

Negócio concreto

Negócio concreto

A Castelatto, líder no segmento de pisos e revestimentos de concreto arquitetônico, vai expandir sua fábrica em Atibaia, no interior de São Paulo. Serão investidos mais de R$ 30 milhões, incluindo a aquisição de maquinários customizados com tecnologia de última geração. Segundo Gabriel Bertolacci, presidente da empresa, quatro países estão envolvidos diretamente com fornecimento de equipamentos e instalação (Alemanha, Eslovênia, Itália e Espanha). Com a expansão da planta, a Castelatto vai ampliar a participação em produtos autorais de luxo, em formatos e acabamento com tecnologia de última geração. “Hoje, com presença em 14 países, nos encontramos em um momento de grandes expansões”, diz Bertolacci.

(Nota publicada na Edição 1112 da Revista Dinheiro)


Mais posts

A força do frango

A KFC, maior rede de frango frito do mundo, está trazendo um novo formato de loja ao Brasil. Muito explorado no exterior, o modelo, [...]

Otimismo imobiliário

Pesquisa realizada pela empresa de TI Superlógica e pelo Imobiliárias do Futuro, com mais de 600 profissionais de imobiliárias, aponta que o setor está otimista para 2019. Embora 71% dos participantes digam que suas imobiliárias sofreram os impactos da crise em 2018, 76% acreditam em crescimento neste ano. Os principais desafios em 2018 foram: dificuldade […]

Saúde em expansão

O mercado de equipamentos médicos registrou alta de 13,5% no acumulado de 2018, segundo dados do Boletim Econômico da Aliança [...]

O Canadá e logo ali

Considerada uma das maiores autoridades em imigração e intercâmbio de brasileiros para o Canadá, a executiva gaúcha Rosa Maria Troes, [...]

Frase da semana

“Que essa geração tenha coragem de pagar o custo de R$ 1 trilhão da reforma da Previdência para não abandonar as futuras gerações” [...]
Ver mais
X

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.