Negócios

Natura declara guerra a tudo que mata e desmata

Crédito: Silvia Costanti

Sabe aquela coincidência que, de tão boa, parece que foi premeditada? É o que aconteceu com o grupo Natura&Co. Na mesma semana que o ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles deixou o cargo – para alegria da fauna e da flora internacional – a Natura lançou duas grandes iniciativas de combate à fome e ao desmatamento.

Na primeira frente, a companhia declarou que vai apoiar a campanha Tem Gente com Fome, criada pela Coalizão Negra por Direitos em parceria com Instituto Ethos, Anistia Internacional, Oxfam Brasil, Redes da Maré, Ação Brasileira de Combate às Desigualdades, 342 Artes, Nossas, Orgânico Solidário, Grupo Prerrogativas e Fundo Brasil.

O objetivo da ação é arrecadar fundos para iniciativas de combate à fome, à miséria e à violência durante a pandemia de Covid-19.

Com R$ 100 mil, serão doadas duas cestas básicas para cada uma das 500 famílias contempladas pela ação. A boa notícia da parte ambiental – além do Salles, é claro – é que a Natura decidiu lançar uma plataforma de monitoramento da Amazônia.

A medida compõe uma série de ações do Compromisso com a Vida 2030, um plano de sustentabilidade que reúne 31 metas para enfrentar alguns dos desafios globais mais urgentes: crise climática, proteção da Amazônia, defesa dos direitos humanos, inclusão e abraçar regeneração em seus negócios até 2030. “Em nosso modelo de negócio garantimos o equilíbrio entre lucro e propósito”, disse Roberto Marques, CEO e presidente executivo do Conselho de Administração de Natura &Co. “Apenas 25% das empresas da Fortune 500 estão comprometidas em ser neutras em carbono até 2030. Então, está claro que o mundo ainda tem um longo caminho a percorrer.”

(Nota publicada na edição 1228 da Revista Dinheiro)