Política

Não há como mensurar quantos morreram por desinformação, afirma Pasternak na CPI

Crédito: Agência Senado

Pasternak criticou a falta de adoção, principalmente do presidente Jair Bolsonaro, do uso de equipamento de proteção (Crédito: Agência Senado)

Em depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito da Covid, a médica microbiologista Natalia Pasternak classificou a desinformação com relação a pandemia da covid-19 como algo que possa ter contribuído com o número de mortes pela doença no País. Mas, segundo ela, não é possível “mensurar quantas pessoas morreram de desinformação”, disse. Ele criticou a falta de adoção, principalmente do presidente Jair Bolsonaro, do uso de equipamento de proteção, como máscaras, para tentar conter a disseminação do vírus.

Para o microbiologista, quando o presidente aparece sem máscara, cena comum para Bolsonaro em aparições públicas, ele “confunde as pessoas”, fazendo com que assumam um “comportamento de risco” ao copiar o exemplo do chefe do Executivo e também dispensar seu uso.

+ Aras não vê irregularidade na convocação de governadores pela CPI da Covid
+ CPI da Covid aprova quebra de sigilo de Pazuello e Ernesto Araújo

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago