Na onda dos imóveis

Na onda dos imóveis

O empresário gaúcho Marco Aurélio Raymundo, mais conhecido como Morongo, construiu um império com a marca de artigos de surfe, a Mormaii. Hoje, sua grife estampa mais de 700 produtos no Brasil e no mundo, desde pranchas, bicicletas, roupas e óculos até cadernos e relógios. A partir deste ano, Morongo vai imprimir seu lifestyle também no mercado imobiliário. Ele firmou uma parceria com a construtora Real Urbanismo para lançar um empreendimento Île Mormaii, no litoral de Santa Catarina. O projeto prevê empreendimentos residenciais com casas que seguem o lifestyle da Mormaii, além de uma operação hoteleira e de resort. Os condomínios serão construídos de forma sustentável, com mão de obra local e menor gasto energético.

(Nota publicada na Edição 1120 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Energia automatizada

A distribuidora de energia Enel, sob comando do presidente Nicola Cotugno, investiu R$ 870 milhões para automatizar seu sistema de leitura e cobrança de consumo. No ano passado, o grupo instalou cerca de 20 mil equipamentos telecomandados, um aumento de 17% em relação ao ano anterior. O projeto focou São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás […]

Dólar mais barato

Em tempos de dólar nas alturas, a corretora Meu Câmbio está apostando em uma nova plataforma para envio e recebimento de recursos com [...]

O novo fiador do BTG pactual

O BTG Pactual, maior banco de investimentos da América Latina, segue firme em sua estratégia de incorporar fintechs e expandir seus [...]

Eventos em alta

Uma das maiores agências de eventos do País, o Grupo MM está enxergando o reaquecimento da economia em seus números. Em janeiro, a [...]

A negócios ou lazer

Maior rede hoteleira do mundo, a americana Wyndham Hotels & Resorts está ampliando seu portfólio no Brasil. A empresa vai abrir o [...]
Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.