Giro

Museu do Ipiranga expõe peças no Metrô

Milhares de pessoas que passam por três estações centrais do Metrô em São Paulo todos os dias terão a chance de apreciar as exposições do Museu Paulista da USP, também conhecido como Museu do Ipiranga, que foram inauguradas nesta sexta-feira, 20, na Sé, Luz e República. Os eventos culturais servem como aperitivo para a comemoração do bicentenário da Independência, festejado no dia 7 de setembro.

“Estar no metrô – em locais de fluxos tão intensos de pessoas – é uma grande oportunidade de nos aproximarmos do público com nosso acervo e pesquisas. Com essas exposições no metrô, o visitante já vai poder se preparar para o que virá em setembro, quando o novo Museu do Ipiranga trará uma quantidade inédita de acervos e recursos de multimídia”, explicou Solange Ferraz de Lima, curadora e presidente da Comissão Cultura e Extensão do Museu do Ipiranga.



Na estação República, na linha 3 – Vermelha, haverá a exposição A Independência do Brasil na tela: imaginando o grito do Ipiranga. Ela trará uma reprodução de 3m x 1,70m do famoso quadro “Independência ou Morte”, pintado por Pedro Américo em 1888. A obra original tem 7,60m x 4,15m e é um óleo sobre tela muito famoso. Desde 2017 o quadro passa por uma minuciosa restauração para poder ser apreciado novamente pelo público na reabertura do museu. Enquanto isso, as pessoas poderão ver a reprodução no Metrô.

Pertinho dali, na estação Sé, na linha 3 – Vermelha, o público terá acesso à exposição Novo Museu do Ipiranga, que conta detalhes do projeto e descreve seus novos espaços. Na reforma, o local teve sua área construída duplicada, o que permite receber 12 exposições em 49 salas. Também vai receber mirante, loja, espaço para café e auditório para 200 pessoas.

A exposição apresenta imagens históricas do museu, passando por sua construção no final do século 19, cita detalhes da arquitetura e explica o longo trabalho de restauração pelo qual o edifício está passando. Cerca de 70% das obras estão concluídas e o local será reaberto no dia 7 de setembro, na comemoração do bicentenário da Independência do Brasil.

+ Confira 10 receitas para reaproveitar ou turbinar o arroz do dia a dia


“Estamos ampliando, atualizando e modernizando este museu que, sem dúvida nenhuma, será um dos mais visitados do Brasil a partir de setembro. A reforma foi uma iniciativa dos paulistas e de São Paulo. Não só do Governo do Estado, mas da sociedade e da iniciativa privada que entenderam a importância da reabertura, principalmente para celebrarmos o bicentenário da Independência”, disse Rodrigo Garcia (PSDB), governador do Estado.

O museu terá duas amplas entradas, bilheteria e será acessível a todas as pessoas, com elevadores e escadas rolantes. Um dos espaços mais charmosos é o jardim francês, que está passando por um novo paisagismo e terá sua fonte central reativada. Ele ainda terá restaurante e espaço para food bikes.


E a última exposição, na estação da Luz, da Linha 1 – Azul do metrô, será sobre São Paulo – Território em Construção. Ela vai abordar as paisagens da metrópole desde o fim do século 19 até os dias de hoje. Serão usadas imagens de dois importantes nomes da fotografia brasileira: Militão Augusto de Azevedo, que tem registros do século 19, e Werner Haberkorn, que tratou da urbanização das décadas de 1940-50.

As três exposições do Museu do Ipiranga são gratuitas e integram a programação da Linha da Cultura do Metrô. Eles ficarão em cartaz até o dia 19 de junho e as visitas podem ser realizadas dentro do horário de funcionamento das estações, ou seja, das 4h40 até meia-noite todos os dias.