Geral

Mulher e amante são suspeitos de matar sargento na zona leste de SP

Na noite de terça-feira, dia 5, o sargento aposentado Jairo Dutra de Moraes, de 47 anos, foi executado com quatro tiros na frente da casa dos pais, em São Mateus, zona leste paulistana. No início, a Polícia Civil pensava se tratar de mais um latrocínio (roubo seguido de morte), mas as investigações apontaram que, na verdade, ele foi vítima de emboscada.

O homicídio teria sido planejado pela própria mulher – eram casados havia 21 anos -, o amante e um irmão dele, que foram presos na quinta-feira, 7.

O assassinato aconteceu na Avenida Sapopemba, por volta das 19h30. O casal havia acabado de estacionar o carro, um Hyundai HB20. O policial estava no banco do passageiro. A empresária Ana Paula Graminho Dutra de Moraes, de 45 anos estava no volante.

Assim que parou, a mulher entrou na casa para abrir o portão. Com ela fora, um homem, de boné e camiseta preta, se aproximou a pé, sacou um revólver calibre 38 e atirou na cabeça e no tórax de Moraes, que morreu na hora.

No 49º Distrito Policial (São Mateus), Ana Paula disse ter ouvido o ladrão anunciar o assalto. “Perdeu! Perdeu!”, foi a frase que teria escutado. Também contou que os documentos do marido foram levados. Mais tarde, eles seriam encontrados na bolsa dela. “Ela tentou direcionar para um latrocínio”, disse o delegado Rogério Barbosa Thomaz, titular da 1ª Patrimônio do Deic, responsável pelo caso.

Investigação

Com imagens de câmeras de segurança, a polícia identificou a placa da moto usada pelo assassino para fugir. Após investigar, descobriu que o atirador era Jefferson Rodrigues da Silva, de 29 anos, com duas acusações de roubo.

Nas gravações, ele também apareceu repassando a arma a um comparsa, identificado depois como o irmão dele: Emerson Rodrigues da Silva, de 33 anos. Os dois foram presos em Guarulhos, na Grande São Paulo, e teriam confessado o crime.

Aos policiais, porém, contaram que Emerson tinha relação amorosa com Ana Paula havia cerca de um ano. A traição teria sido descoberta por Moraes em outubro. Segundo os suspeitos, o PM estaria ameaçando o amante e a família dele – motivo pelo qual decidiram matá-lo.

A Justiça decretou a prisão do trio. Parentes ouvidos pela polícia disseram que o PM e Ana Paula tinha relacionamento “conturbado” e chegaram a iniciar o processo de divórcio neste ano. Segundo a polícia, ela negou participação no crime, mas depois admitiu saber de um plano “para dar um susto” em Moraes. A reportagem não conseguiu localizar a defesa dos suspeitos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Veja também

+ Sandero deixa VW Polo GTS para trás em comparativo
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial
+ Ivete Sangalo salva menino de afogamento: “Foi tudo muito rápido”
+ Bandidos armados assaltam restaurante na zona norte do RJ
+ Mulher é empurrada para fora de ônibus após cuspir em homem
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?