Giro

MP denuncia ilegalidades nos contratos de ônibus em SP

O Ministério Público (MP) do Estado ingressou com ação na Justiça contra oito ex-diretores da São Paulo Transportes (SPTrans), órgão da Prefeitura de São Paulo que administra o sistema de ônibus da cidade, três consórcios e um empresário do ramo para que seja ressarcido ao poder público R$ 1,88 bilhão.

O promotor Ricardo Manuel de Castro sustenta que houve ilegalidades nos contratos do setor e que gestores se omitiram diante desses problemas, razão pela qual ele também pede condenação por improbidade administrativa de parte dos acusados.

Parte dos problemas se dá pelos supostos descumprimentos de obrigações contratuais, como a realização de investimentos pelas concessionárias. A SPTrans disse à reportagem não ter sido notificada. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.