Giro

Mortes por Covid-19 podem ser o triplo do registrado, diz estudo

Crédito: Arquivo/Agência Brasil

O estudo diz que o número real de vidas perdidas pela pandemia até 31 de dezembro de 2021 estava próximo de 18 milhões, 3 vezes mais que dados oficiais (Crédito: Arquivo/Agência Brasil)



O número de pessoas que morreram por causa da pandemia de Covid-19 pode ser cerca de três vezes maior do que os números oficiais sugerem, de acordo com uma nova análise publicada nesta quinta-feira, 10, no The Lancet.

O estudo diz que o número real de vidas perdidas pela pandemia até 31 de dezembro de 2021 estava próximo de 18 milhões. Isso supera em muito as 5,9 milhões de mortes que o estudo diz terem sido relatadas a várias fontes oficiais no mesmo período. A diferença se deve a subcontagens significativas nas estatísticas oficiais devido a relatórios atrasados ​​e incompletos e à falta de dados em dezenas de países.

+ Manter o uso da máscara mesmo com alta vacinação pode salvar vidas, diz estudo

A perda de vidas “é muito maior do que simplesmente avaliada pelas mortes relatadas por Covid-19 na maioria dos países”, diz o coautor do estudo Haidong Wang, demógrafo e especialista em saúde populacional do Institute for Health Metrics and Evaluation (IHME) em Seattle, Washington, nos Estados Unidos. “Entender o verdadeiro número de mortos da pandemia é vital para uma tomada de decisão eficaz em saúde pública.”




Para estimar as mortes por Covid-19, o estudo do IHME usa uma medida chamada ‘excesso de mortalidade’, que é uma ferramenta conveniente para superar a variação nas formas como os países diagnosticam e registram as mortes pelo vírus. Os pesquisadores estimam o excesso de mortes comparando o total de mortes relatadas em uma região ou país por todas as causas, com quantas mortes seriam esperadas dadas as tendências nos últimos anos.

O ‘excesso de mortalidade’ é um bom indicador de mortes por Covid-19, diz Wang, citando estudos da Suécia e da Holanda sugerindo que o Covid-19 foi a causa direta da maioria das mortes em excesso durante a pandemia. Mas ele ressalta que tais estimativas também incluem mortes por outras causas. Mais pesquisas são necessárias, diz ele, para separar as mortes causadas diretamente pela Covid-19 daquelas que são resultados indiretos da pandemia, como as de pessoas que não tiveram Covid-19 e morreram por causa de assistência médica inadequada em hospitais sobrecarregados .

A equipe do IHME coletou dados sobre as mortes por todas as causas em 74 países e territórios. Para os países que não produzem esses dados, os autores utilizaram um modelo estatístico para produzir estimativas de mortalidade. A análise da equipe indica que as mortes relatadas pelo vírus totalizaram 5,9 milhões entre 1º de janeiro de 2020 e 31 de dezembro de 2021, mas o excesso global de mortes devido à pandemia nesse período pode ter totalizado 18,2 milhões.


As maiores taxas de excesso de mortalidade estimadas foram na América Latina Andina (512 mortes por 100.000 habitantes), Europa Oriental (345 mortes por 100.000), Europa Central (316 mortes por 100.000), Sul da África Subsaariana (309 mortes por 100.000) e América Latina (274 mortes por 100.000). Wang diz que os resultados de seu grupo são úteis porque permitem que os pesquisadores comparem países e regiões que responderam à propagação do vírus de maneiras diferentes.

Os resultados do IHME são a primeira estimativa de excesso de mortes a aparecer em um jornal revisado por pares. Uma análise rival que está sendo preparada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) sofreu atrasos, mas está programada para ser publicada no final deste mês.

A estimativa central do IHME é semelhante à da revista The Economist em Londres, que estimou cerca de 18 milhões de mortes em excesso até o final de 2021. Mas as barras de erro na análise do IHME são notavelmente mais estreitas.

Outros pesquisadores da área criticaram anteriormente as estimativas de morte por Covid-19 produzidas pelo IHME, incluindo aquelas que aparecem em seu site.

Ariel Karlinsky, economista da Universidade Hebraica de Jerusalém, em Israel, que trabalhou em estimativas de excesso de mortes, diz que a estimativa central do novo estudo de 18 milhões é razoável, mas que alguns dos números do IHME para excesso de mortes em países individuais estão significativamente superados. de passo com outras estimativas.

“Eles ainda têm sua estimativa ridícula para o Japão em mais de 100.000 mortes em excesso, o que é mais de seis vezes as mortes relatadas. Eu realmente não sei como eles estão conseguindo isso”, diz ele.

O modelo do IHME contém alguns “recursos bizarros”, acrescenta Jonathan Wakefield, estatístico da Universidade de Washington em Seattle que lidera o projeto global de número de mortos da OMS. A abordagem do IMHE o leva a duvidar da validade de seus intervalos de incerteza e outras características estatísticas da modelagem.

Diferentes modelos e técnicas produzirão diferentes resultados de país e níveis de incerteza, responde Wang. Por exemplo, o modelo do IHME usa 15 variáveis ​​para explicar o número de mortes em excesso de um país, enquanto o modelo do The Economist emprega mais de 100.






Tópicos

3ª dose 4ª dose combate o quê? 4ª dose israel 4ª dose necessária 4ª dose vacinas adolescentes e crianças covid anticorpo monoclonal anticorpos covid sintomas anticorpos infectados nova infecção anticorpos monoclonais Anvisa astrazeneca trombose Cepa colombiana cepa colombiana é mais letal? cepa delta china aprova tratamento coronavírus alimentação coronavírus animais coronavírus estudos coronavírus soja corticoides covid covid anticorpos covid antiviral medicamento covid longa covid medicamentos covid passa para animais covid remédios covid restrições covid tratamento covid tratamentos Covid variantes Covid-19 efeitos permanentes europa ainda tem restrições? gorilas com covid idosos têm que tomar 3ª dose? imunizados naturais imunizados têm que usar máscaras infectados imunizados lentidão vacinação Rússia máscara vacina máscaras vacina OMS medicamento anticovid MSD dinamarca medicamento MSD covid o que é trombose o que funciona covid pets têm covid? pilula contra covid pode haver duas infecções diferentes posso me infectar depois de vacinado? Qual país tem mais infectados? quando vou deixar de usar máscara? quantas doses já foram aplicadas? quanto tempo duram os anticorpos quanto tempo duram os sintomas? quantos faltam vacinar? quantos vacinados tem o Brasil? que alimentos inibem o coronavírus quem deve tomar 3ª dose? rio afrouxa restrições praias rio restrições RJ restrições Rússia Rússia confinamento Rússia recorde de mortes sequelas covid super imunes covid superanticorpo superimunes covid superimunes genes transmissão adolescentes crianças tratamento anticorpos monoclonais china trombose vacina idosos vacina 3ª dose vacina duas doses protege mais que a de dose única? vacina reinfecção vacina risco de trombose vacina trombose vacinação adolescentes vacinados infectados imunidade Variante cama variante delta variante delta países variante delta volta Variante gama é perigosa? variante gama Manaus Variante Gamma zoológico EUA covid