Finanças

Moedas: Dólar reduz ganhos com ata do Fed, mas ainda sobe ante pares

Crédito: Arquivo/Agência Brasil

Dólar subiu ante os pares, apesar de ter reduzidos os ganhos após a divulgação da ata da reunião de política monetária mais recente do Fed (Crédito: Arquivo/Agência Brasil )

O dólar subiu ante os pares nesta quarta-feira, 7, apesar de ter reduzidos os ganhos após a divulgação da ata da reunião de política monetária mais recente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano). O documento veio menos “hawkish” do que o mercado esperava.

No final da tarde em NY, o euro caía a US$ 1,1808, libra subia a US$ 1,3806, quase estável, e o dólar recuava a 110,58 ienes. O índice DXY, que mede a variação da moeda americana ante seis pares, por sua vez, fechou em alta de 0,11%, a 92,644 pontos.

+ Guedes diz que dólar a R$5 favorece turismo no Brasil

Houve certa volatilidade no mercado cambial hoje. O dólar começou o dia em baixa contra as principais moedas, mas se fortaleceu com a expectativa pela ata do Fed. Logo após a divulgação do documento, contudo, o fôlego do ativo diminuiu.



O documento mostrou que os dirigentes começaram a discutir o “tapering”, como é chamado o processo de redução gradual das compras de ativos, mas também destacou divergências entre eles.

Para a Capital Economics, a ata foi “um pouco” menos hawkish do que o previsto. Segundo o economista-chefe para Estados Unidos da consultoria, Paul Ashworth, o que fez o documento parecer menos duro foram frases como “paciência”, “nas próximas reuniões” e “começar a discutir”.

“A reação do dólar foi silenciosa devido à visão do banco central de que o ‘progresso substancial adicional’ que eles desejavam ver na economia não foi alcançado”, afirma a diretora de estratégia cambial da BK Asset Management, Kathy Lien. Ela espera, contudo, que os dados melhorem e abram caminho para o “tapering”.

Em evento após a publicação da ata, o presidente do Fed de Atlanta, Raphael Bostic, disse que o momento apropriado para iniciar o “tapering” está perto. O dirigente, que tem direito a voto nas reuniões deste ano, também afirmou que a equipe técnica do BC americano analisa como o processo pode ser realizado.

Em reportagem publicada às 11h29 (de Brasília), o Broadcast mostrou que a divisa dos EUA pode ganhar mais força ao longo do segundo semestre à medida que evolui a discussão sobre a migração gradual do Fed para uma política monetária menos acomodatícia.

“Há poucas dúvidas de que o Fed fará o ‘tapering’ antes do Banco Central Europeu”, diz Kathy Lien. Segundo a analista, o que também provocou desvalorização da moeda comum hoje foi a queda na produção industrial da Alemanha.

Para o analista sênior de mercado Joe Manimbo, da Western Union, a maior economia da Europa ainda está no caminho da recuperação econômica, mas os dados mais fracos sugerem que o processo será mais longo.

Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Geisy reclama de censura em rede social: “O Instagram tá me perseguindo”
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Nicole Bahls já havia sido alertada sobre infidelidade do ex-marido
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago