Ciência

Módulo científico Nauka se acopla à Estação Espacial Internacional

O módulo científico russo Nauka se acoplou nesta quinta-feira (29) à Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) – informou a agência espacial Roscosmos.

Nauka (“ciência” em russo) decolou em 21 de julho a bordo de um foguete Proton-M do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão.

Após oito dias de viagens espaciais, que levaram para se localizar na mesma órbita da ISS, o módulo científico foi acoplado às 16h29 no horário de Moscou (10h29 no horário de Brasília), ao módulo de serviço russo Zvezda.

“Contato confirmado!”, tuitou o diretor da Roscosmos, Dmitri Rogozine, ao anunciar o acoplamento do módulo.



“Segundo os dados de telemetria e os relatórios de bagagem da ISS, os sistemas a bordo da estação e o módulo Naukas funcionam normalmente”, afirmou a agência espacial em um comunicado.

A operação deveria ser feita automaticamente, mas o cosmonauta Oleg Novitski, a bordo da ISS, assumiu o controle manual do módulo para guiá-lo nos últimos metros.

“Novo módulo, novas perspectivas para a astronáutica russa”, enfatizou o tripulante russo Ivan Vagner no Twitter.

– Um dos maiores da ISS –

Agora restam vários meses de trabalho e várias caminhadas espaciais para que Nauka esteja totalmente operacional e integrado à ISS.

Depois que seu lançamento foi adiado por quase uma década, a jornada foi acompanhada de perto pela Agência Espacial Europeia (ESA. Nauka transportava o braço robótico ERA, que será instalado no exterior.

Nauka é um módulo de laboratório, mas também fornecerá “espaço adicional para estações de trabalho e armazenamento de carga, e espaço para equipamentos de regeneração de oxigênio e água”, disse Roscosmos.

Ele substitui, após 20 anos de serviço, o módulo Pirs, que foi desacoplado da ISS na segunda-feira para ser consumido na atmosfera da Terra durante uma entrada controlada no sul do Oceano Pacífico.

Com um peso total de 20 toneladas e um volume interior de 70 m3, é um dos maiores módulos da ISS.

– “Estávamos preocupados” –

“Não vamos mentir, as coisas não correram como o esperado, mas não foram ruins”, reconheceu Rogozine, citado por agências russas.

Após um lançamento e órbita bem-sucedidos, Nauka experimentou vários problemas técnicos no espaço, forçando a ISS a fazer várias manobras e alimentando temores de que poderia não atracar.

“Ficamos preocupados durante os primeiros três dias. Houve uma perda de telemetria”, explicou o diretor da Roscosmos, que indicou que “uma comissão estatal analisará todas essas observações”.

“Parabéns a todos os envolvidos”, disse o Diretor Geral da ESA, Josef Aschbacher, no Twitter.

A NASA e a empresa Boeing Space também parabenizaram a agência espacial russa, em uma demonstração da cooperação que prevalece no campo espacial.

Assim como aconteceu com outros projetos russos no espaço, enfrentou problemas de financiamento, erros burocráticos e problemas técnicos durante seu projeto e desenvolvimento.

Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Geisy reclama de censura em rede social: “O Instagram tá me perseguindo”
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Nicole Bahls já havia sido alertada sobre infidelidade do ex-marido
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago