Geral

Ministro da Infraestrutura diz que auxílio a caminhoneiros pode não acontecer

Crédito: Arquivo/Agência Brasil

Reajuste de 25% no diesel inviabiliza o trabalho de muitos caminhoneiros (Crédito: Arquivo/Agência Brasil)

O Ministro da infraestrutura Tarcísio Gomes de Freitas, afirmou nesta quarta-feira (27) que o “auxílio-diesel” de R$ 400 aos caminhoneiros pode não acontecer devido a reação negativa da categoria.



“É um esforço fiscal que o governo estava disposto a fazer, mas como a reação não foi boa, eu não sei se o governo vai seguir em frente com o auxílio”, disse Tarcísio em entrevista à Jovem Pan News.

+Comando Vermelho manda postos baixarem o preço da gasolina

A medida foi anunciada na live do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na última quinta-feira (21) e se dá em meio a mais uma alta no combustível no país. A proposta não agradou à Confederação Nacional dos Trabalhadores de Transporte e Logística (CNTTL) que a considerou uma “humilhação”.

Presidente da Confederação, Carlos Alberto Litti Dahmer criticou a “política equivocada de preços da Petrobras”.

+ Especialista revela o segredo dos bilionários da bolsa. Inscreva-se agora e aprenda!



O ministro também afastou a possibilidade de uma greve dos caminhoneiros.  “Não acredito num grande movimento, e acredito que a gente vai superar isso rapidamente”, disse.

Wallace Landim, conhecido como Chorão, presidente da Associação Brasileira dos Condutores de Veículos Automotores (Abrava), confirmou que haverá uma paralisação no próximo dia 1º de novembro se o governo não sinalizar com nenhuma mudança, mas que não vai haver fechamento de estradas.