Geral

Ministério investiga empresas aéreas por falta de assistência a passageiros

O Ministério da Justiça informou hoje (21) que abriu investigação para apurar a conduta das empresas aéreas Latam e Azul. Passageiros ficaram retidos em Bariloche, na Argentina, em razão da nevasca que afetou a Região Sul do Continente.

Segundo informações recebidas pela pasta, cerca de 9 mil pessoas teriam sido afetados e estariam sem adequada assistência. O ministério, via Secretaria Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça e Segurança Pública, acionou a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e o Ministério das Relações Exteriores para obter dados atualizados sobre a situação no aeroporto argentino e o tratamento dado às pessoas envolvidas.

As empresas Latam e Azul foram notificadas para apresentar as medidas tomadas quanto à assistência aos brasileiros e as ações para atender às demandas desses consumidores.

Nos dias 14 e 15 deste mês, auge da temporada de turismo na região, brasileiros relataram caos no aeroporto em Bariloche, por meio de redes sociais. Os relatos apontam falhas no fornecimento de informação a suporte aos passageiros pelas companhias aéreas. Na ocasião, a temperatura local chegou a -24,5°C e provocou o fechamento do aeroporto e o consequente atraso nos pousos e decolagens.

 

Veja também

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

Tópicos

empresas aéreas