Edição nº 1149 02.12 Ver ediçõs anteriores

Mineirão quer ser exceção

Mineirão quer ser exceção

Enquanto diversas arenas construídas para a Copa do Mundo estão envolvidas em escândalos de corrupção ou até mesmo apresentando falhas estruturais, o Mineirão procura ficar alheio a esses problemas. Administrado por meio de uma parceira-público-privada (PPP), o estádio localizado em Belo Horizonte vem buscando alternativas para preencher a ociosidade do espaço. Não por acaso, 35% da receita da arena já vêm de shows de música e eventos corporativos. Com isso, o faturamento do estádio em 2016 subiu cerca de 40%.

“Tivemos 90 dias de eventos no estádio e a meta para 2017 é superar os 150”, diz Samuel Lloyd, diretor comercial da Minas Arena, consórcio responsável pela gestão formado pelas empresas HAP, Egesa e Construcap. Segundo o executivo, o estádio conseguirá cumprir a meta de recuperar o dinheiro investido no espaço, cerca de R$ 695 milhões, até 2024.

(Nota publicada na Edição 1003 da Revista Dinheiro, com colaboração de: Com André Jankavski, Hugo Cilo e Márcio Kroehn)


Mais posts

Mercado de bikes infantis pedala como adulto

O brasileiro está pedalando mais. De janeiro a outubro deste ano foram produzidas 820.040 bicicletas no Brasil, segundo dados da [...]

Marketplace Agrofy quer ser líder em 20 países

Primeiro marketplace do agronegócio brasileiro, a argentina Agrofy quer ser a maior plataforma digital do setor do Brasil e em mais 19 [...]

Pinot Noir da Miolo ganha Ouro na Suíça

O Concurso Mondial des Pinot, em Sierre, na Suíça, avaliou 1.212 amostras enviadas por 410 produtores de 29 países. Os rótulos foram [...]

Passageiro entregue, dinheiro na conta

Um segundo. Esse é o tempo que a plataforma de transporte urbano 99 levará para creditar o valor proporcional a cada corrida na conta [...]

Campo fértil para crescer

Maior consultoria de negócios no agro da América Latina, com mais de 300 clientes, a Markestrat Agribusiness anunciou esta semana a [...]
Ver mais