Giro

Milhares de pessoas protestam em Berlim contra restrições por coronavírus

Milhares de pessoas protestam em Berlim contra restrições por coronavírus

Milhares de manifestantes tomaram as ruas de Berlim contra as medidas para conter o coronavírus, em 1 de agosto de 2020. - AFP

Milhares de pessoas protestaram neste sábado(01) em Berlim contra as medidas de prevenção do coronavírus.

Os manifestantes, cerca de 17.000 de acordo com a polícia, são menos do que os 500.000 anunciados pelos organizadores da marcha, chamada “O fim da pandemia – dia da liberdade”.

O ato reuniu os que se denominavam “pensadores livres”, ativistas antivacinas e simpatizantes da extrema direita.

Alegando que as medidas limitam as liberdades individuais, alguns gritaram “Somos a segunda onda”, “Resistência” ou denunciaram o coronavírus como “uma grande teoria da conspiração”.

Poucos usavam máscara, constatou um jornalista da AFP no local, e a distância física de um metro e meio também não foi respeitada.

A polícia apelou aos manifestantes por meio de alto-falantes para respeitarem as medidas de segurança e anunciou no Twitter que registrou uma queixa contra os organizadores por “não respeitarem as regras de higiene”.

Para os manifestantes essas medidas devem desaparecer, já que a crise da saúde foi superada.

“É uma tática de medo: não vejo perigo com o vírus. Não conheço outras pessoas doentes. Conheci muitas pessoas doentes em março, esquiadores, turistas, algo realmente aconteceu em fevereiro, mas agora não há mais pessoas doentes”, disse Iris Birzenmeier à AFP.

Anna-Maria Wetzel, que já participou de vários encontros semelhantes, tem a mesma opinião.

“Aqueles que não se informam, diferentemente de nós, são ignorantes e acreditam no que o governo diz. Eles têm o medo que o governo coloca em nossas cabeças”.

Críticos da manifestação chamaram os participantes de “nazistas”.

O lema da manifestação, “Dia da Liberdade”, coincide com o título de um filme do diretor Leni Riefenstahl sobre a conferência do partido de Adolf Hitler no NSDAP em 1935.

Até agora, a Alemanha registrou 9.200 mortes por coronavírus, um número relativamente baixo, mas as autoridades estão preocupadas com um lento aumento de casos.

Veja também

+Caixa paga hoje (13) auxílio emergencial para nascidos em maio

+Soros produzidos por cavalos têm anticorpos potentes para covid-19

+ Avó de Michelle Bolsonaro morre após 1 mês internada com covid-19

+ Nazistas ou extraterrestres? Usuário do Google Earth vê grande ‘navio de gelo’ na costa da Antártida

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Carol Nakamura anuncia terceira prótese: ‘Senti falta de seios maiores’

+ Ex-Ken humano, Jéssica Alves exibe visual e web critica: ‘Tá deformada’

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?