Giro

México elimina Holanda nas penalidades e avança no Mundial Sub-17

Na primeira semifinal, Holanda e México travaram um duelo de equipes que se recuperaram dentro do Mundial Sub-17. As duas seleções só foram vencer um jogo na terceira rodada da fase de grupos. Mas, a partir daí, eliminaram seus rivais nas oitavas de final e nas quartas de final para chegarem até esta partida decisiva no estádio Bezerrão, no Gama/DF. Tamanha igualdade durante toda a campanha levou também a um empate nos 90 minutos, o que levou a decisão para os pênaltis.

A Holanda teve maior posse de bola e criou as melhores chances no 1º tempo. Aos 27 minutos, um lance polêmico. Num chute forte, o goleiro García espalmou, a bola subiu e o atacante Naci Unuvar disputou de cabeça, conseguindo marcar o gol, que foi devidamente anulado, por ter cometido falta no camisa 1 mexicano. Fora este gol invalidado, os poucos torcedores nas arquibancadas não tiveram outro motivo para vibrar.

No 2º tempo, a tônica da partida continuou muito semelhante. Os ataques eram comandados pela Holanda. Aos 11 minutos, Youri Regeer perdeu uma chance clara. Livre na área, ele tentou um voleio “a la Bebeto”, mas chutou a bola sobre o gol de García. Nos pênaltis, o México ganhou por 4 a 3 e se classificou para a final, gols de Muñoz, Alejandro Gómez, Pizzuto e Guzmán.

Regeer era perigoso, mas estava com azar. Seis minutos depois, num cruzamento para a área, ele deu de joelho na bola e conseguiu acertar o travessão. A pressão só aumentava.

Aos 28 minutos, numa jogada individual de Bogarde, ele cruzou rasteiro e, enfim, Regeer, dentro da pequena área, só tocou para as redes: Holanda 1 a 0.

Precisando empatar, o México foi ao ataque. E conseguiu uma cobrança de falta frontal à meta do goleiro Raatsie. O reserva Álvarez, que acabara de entrar, bateu com curva, o goleiro pulou atrasado e a bola balançou as redes: 1 a 1. A igualdade levava a decisão do primeiro finalista para os pênaltis.

Nas cobranças de pênaltis, o próprio Álvarez abriu a série desperdiçando sua cobrança. Mas, foi salvo pelo goleiro García, que defendeu três penalidades dos holandeses (uma, inclusive, do artilheiro Regeer) e se tornou o heroi da classificação mexicana para a final.

Domingo, às 19 horas, o México voltará ao gramado do estádio Bezerrão para tentar o tricampeonato do Mundial Sub-17.

Ficha técnica:
Quinta-feira, 14 de novembro de 2019
HOLANDA 1 x 1 MÉXICO (3 x 4)
Competição: Mundial Sub-17 (Semifinal)
Local: Estádio Bezerrão, Gama (DF)
Juiz: Guillermo Guerrero (Equador)
Público: 1.122

Holanda: Raatsie, Bogarde, Rensch, Salah Eddine e Van Der Sloot; Maatsen, Taabouni, Hansen e Regeer; Unuvar e Braaf. T: Peter Van Der Veen.
México: García, Alejandro Gómez, Rafael Martínez, Ruíz (Lara) e Guzman; Pizzuto, Josué Martínez, González e El Mesmari (Joel Gómez); Luna (Álvarez) e Muñoz. T: Marco Ruiz.

Gols: No 2o tempo: Regeer (28) e Álvarez (34).