Meta traçada até 2031

Meta traçada até 2031

A Fujifilm Holdings Corporation entrou para a lista de organizações da Lista A de Mudanças Climáticas, da CDP, organização sem fins lucrativos que ajuda empresas e governos a reduzir emissões de gases de efeito estufa, proteger recursos hídricos e florestas. A companhia figura entre as 179 de melhor desempenho entre mais de 8 mil organizações avaliadas. A Fujifilm elaborou um documento chamado Plano de Valor Sustentável 2030 (PVS2030), que traça ações para reduzir as emissões de CO2 de seus produtos e contribuir para a redução de emissões de CO2 na sociedade. O plano define a meta numérica de redução de emissões de CO2 em todo o ciclo de vida dos produtos da empresa em 30% até o ano fiscal que termina em março de 2031, para tanto neste mesmo período 50% da eletricidade usada pela companhia terá de ser derivada de fontes como energia solar e eólica.

(Nota publicada na edição 1158 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Meninas entram no mundo da robótica

O projeto As Donas da Robótica, do Instituto Francisca de Souza Peixoto, foi aprovado para receber aporte do Fundo da Infância e [...]

Sem trabalho infantil

É difícil encontrar alguém que não goste de chocolate. Mas há um problema por trás de sua produção que muita gente não imagina. A [...]

Energia limpa e 60% nacional

A turbina eólica Cypress, fabricada pela GE Renewable Energy, obteve o código Finame depois de o BNDES aprovar o credenciamento do [...]

Iberostar investe na economia circular

O grupo espanhol Iberostar, com três resorts no Brasil – dois na Bahia e um no Amazonas –, colocou a economia circular no centro de sua [...]

Suporte é ferramenta para evitar acidentes ambientais

Nos meios produtivos, o cumprimento de exigências ambientais depende muito da qualidade e do uso correto de determinados dispositivos. [...]
Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.