Ciência

Mesmo com promessa, Ministério ainda não comprou Coronavac

Crédito: Governo do Estado de São Paulo

Fábrica da Coronavac deve ficar pronta no final do ano (Crédito: Governo do Estado de São Paulo)

Já se passaram duas semanas desde que o Ministério da Saúde anunciou que compraria 45 milhões de doses da Coronavac para incluir a vacina no Programa Nacional de Imunização, mas sequer fechou acordo com o Instituto Butantan, segundo o G1.

O governo federal chegou a enviar um assessor especial para acertar o tema com o diretor do Instituto, Dimas Covas, e Antonio Imbassahy, secretário especial e chefe do Escritório de Representação do Estado de São Paulo em Brasília. Isso aconteceu no dia 14 de dezembro, quando o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, ligou para o governador de São Paulo, João Doria, aponta o G1.



+ Estudo indica que mutação da covid-19 não é mais letal que a original
+ Anvisa recebe pedido de estudo da fase 3 com vacina Sputnik V
+ Anvisa muda regras para uso emergencial de vacina contra covid-19

Segundo uma fonte do Instituto Butantan, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) receberá o pedido de registro emergencial da Coronavac em 7 de janeiro. Com isso, o prazo de liberação do imunizante será de 72 horas após o pedido, o que deve acontecer até o dia 10 de janeiro.

Se tudo der certo, até o dia 25 de janeiro a população de São Paulo começa a receber a aplicação das primeiras doses da vacina contra a covid-19.

+ Especialista revela o segredo dos bilionários da bolsa. Inscreva-se agora e aprenda!