Finanças

Mercado mantém compra de ações e Ibovespa sobe 1,89%

Crédito: Edilson Dantas / Agencia O Globo

O Índice Bovespa deu continuidade ao desempenho positivo da véspera e teve novo pregão de ganhos firmes nesta quinta-feira, 10, mais uma vez tendo como destaque as altas das bolsas de Nova York e das ações da Petrobras. Nesta que foi a terceira sessão consecutiva de alta, o Ibovespa avançou 1,89%, aos 85.861,19 pontos. Os negócios somaram R$ 11,7 bilhões, dentro da média das últimas semanas.

“É um movimento interessante, principalmente das ações da Petrobras, que vinham operando na mesma faixa de preço desde o final de fevereiro, mas que agora mostram uma alta até então inesperada”, disse Lucas Claro, analista da corretora Ativa Investimentos.



Os principais eventos do dia ocorreram no período da manhã e exerceram influência nos negócios ao longo de todo o pregão. Nos Estados Unidos, a inflação abaixo do esperado medida pelo Índice de Preços ao Consumidor (CPI) em abril (0,2%) amenizou temores de um aperto monetário mais forte no país, o que favoreceu a queda do dólar e a alta das bolsas. Por aqui, o IPCA do mês passado (0,22%) ficou no piso das estimativas e reforçou a expectativa de mais um corte na taxa Selic, o que também beneficia o mercado de ações.

“Há notícias positivas, como a sinalização de que haverá novo corte da Selic, mas o cenário internacional foi mais uma vez determinante para o desempenho de hoje. Uma vez que não se espera mais avanços no Brasil este ano, o mercado deve operar nos próximos meses à mercê do cenário externo”, disse Guilherme Macêdo, sócio da Vokin Investimentos.

Depois da disparada da quarta-feira, as ações da Petrobras ainda tiveram fôlego para nova rodada de altas, e com forte volume de negócios. Assim como na véspera, a movimentação global dos dois papéis respondeu por cerca de um terço dos negócios na Bolsa. Ao final do pregão, Petrobras ON e PN subiram 2,29% e 5,95%.

+ Especialista revela o segredo dos bilionários da bolsa. Inscreva-se agora e aprenda!



Ainda falando em empresas de controle público, a contrapartida do dia ficou com a ação do Banco do Brasil, que caiu 3,67%, destoando da alta generalizada das ações do setor financeiro, outro importante destaque do dia. A ação respondeu aos resultados trimestrais divulgados pela instituição, considerados bons em termos de números, mas fracos em termos de qualidade. Itaú Unibanco PN teve alta de 2,73% e Bradesco PN avançou 2,01%.