Mercado aquecido para a Comfrio

Mercado aquecido para a Comfrio

A Comfrio, empresa de logística para produtos alimentícios refrigerados, projeta investir R$ 150 milhões em aquisições neste ano. Os principais alvos são concorrentes ligados ao segmento de food service, no qual a Comfrio já atende redes como Outback, Starbucks, Taco Bell, Wendy’s e Pizza Hut. O plano do CEO Evandro Calanca é fortalecer a cobertura geográfica, especialmente no Estado do Rio de Janeiro e na região Nordeste. “A cadeia de frios vai passar por uma consolidação e queremos liderar esse processo”, diz ele. Para alcançar esse resultado, a estratégia também inclui a construção de um centro de distribuição em Recife, no segundo semestre, com um aporte de R$ 15 milhões. Entre estruturas própria e de terceiros, a Comfrio administra 22 unidades no País.

 



De olho no campo

Outro segmento no radar das aquisições da Comfrio é o de logística para o agronegócio. A empresa, que tem o fundo de private equity Aqua Capital como principal investidor, trabalha com Monsanto, Syngenta e Dow. Depois de inaugurar duas unidades de armazenagem de sementes de milho e de soja, no fim de 2017, a companhia planeja investir R$ 60 milhões em mais três unidades nos Estados de Goiás e Mato Grosso, entre 2019 e 2020. “A indústria está retomando o ritmo e recompondo seus estoques”, afirma Calanca. Nesse cenário, o CEO projeta que a Comfrio salte de um faturamento de R$ 370 milhões, no ano passado, para R$ 450 milhões em 2018.

(Nota publicada na Edição 1067 da Revista Dinheiro, com colaboração de: Gabriel Baldocchi e Moacir Drska)

+ Confira 10 receitas para reaproveitar ou turbinar o arroz do dia a dia





Sobre o autor

Hugo Cilo é editor de negócios da Revista DINHEIRO


Mais colunas e blogs


Mais posts

Ver mais

Copyright ©2022 - Três Editorial Ltda.
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento: A Três Comércio de Publicações Ltda., empresa responsável pela comercialização das revistas da Três Editorial, informa aos seus consumidores que não realiza cobranças e que também não oferece o cancelamento do contrato de assinatura mediante o pagamento de qualquer valor, tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A empresa não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças.