Edição nº 1122 24.05 Ver ediçõs anteriores

Menos nudes, mais governo

Menos nudes, mais governo

A postura de Jair Bolsonaro nas redes sociais parece estar incomodando empresários que o apoiaram durante a campanha. Para Carlos Alberto Bifulco, presidente do conselho do Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (Ibef), há um crescente sentimento de desapontamento com as declarações do presidente no meio empresarial, algo que pode comprometer o apoio para as reformas. “Ele deveria se preocupar menos com gente pelada e começar a governar. A campanha já acabou”, diz. Bifulco já exerceu cargos de comando em empresas como Eluma, CBC e Klabin. Ele está se dedicando a atrair nas próximas semanas empresas para seu prêmio Golden Tombstone no Ibef. Com as inscrições abertas, trata-se de uma premiação que no ano passado reuniu 35 operações inscritas, que totalizaram negócios de R$ 143 bilhões, envolvendo mais de 100 empresas e entidades.

(Nota publicada na Edição 1112 da Revista Dinheiro)


Mais posts

“O Brasil vai voltar a atrair investimentos”

Entrevista Jorge Apaez, CEO do Grupo IHG para América Latina O executivo mexicano Jorge Apaez, CEO do grupo hoteleiro IHG na América [...]

Alguém ganhou com o IPO da Uber

A malfadada abertura de capital da Uber, cujas ações despencaram 9% em apenas uma semana, gerou efeitos colaterais positivos para uma [...]

Quer pagar quanto?

Os brasileiros estão, cada vez mais, descobrindo as vantagens das empresas digitais de renegociação de dívidas. Tanto é que a [...]

Maconha liberada, lucro bilionário

Se fosse liberado, o mercado de cannabis acessível (maconha regulamentada e lícita) movimentaria cerca de US$ 2,4 bilhões no Brasil, [...]

O app de quem não tem plano

Pelos cálculos do Minis-tério da Saúde, uma consulta médica pelo SUS pode demorar mais de 12 meses em várias regiões do País. Ao [...]
Ver mais

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.