Negócios

Obra triturada de Banksy é leiloada por R$ 139 milhões

Crédito: Arquivo / AFP

Agora, a pintura pertence a um colecionador asiático anônimo (Crédito: Arquivo / AFP)

Três anos depois de se autodestruir parcialmente durante um leilão em Londres, na Inglaterra, o quadro “Menina com balão”, do artista de rua britânico Banksy, foi vendido novamente por US$ 25,4 milhões (R$ 139,6 milhões no câmbio desta quinta-feira, 14). Agora, a pintura pertence a um colecionador asiático anônimo.

A pintura foi vendida pela casa de leilões Sotheby’s, por um novo recorde para o artista. A pegadinha, que Banksy fez propositadamente, consistiu em, assim que o martelo foi batido ao lance mais elevado, um mecanismo escondido na moldura destruiu a parte inferior da tela, que representa uma menina soltando um balão em forma de coração.



+ Hotel Ca’d’Oro: último leilão de peças acontece no dia 19 de outubro

Agora, apenas o balão permanece em um fundo branco. Com esta ação, Banksy afirmou que desejava denunciar a “mercantilização” da arte, embora, no final, os restos de sua obra provavelmente serão revalorizados.

Esta nova versão, rebatizada de “Love is in the Bin” (“Amor está no lixo”), foi descrita como o “acontecimento” artístico mais espetacular do século XXI, enquadrado “na herança da arte contracultural que começou com o dadaísmo e Marcel Duchamp”.

+ Confira 10 receitas para reaproveitar ou turbinar o arroz do dia a dia


“Menina com balão” apareceu pela primeira vez em 2002. Banksy se tornou mundialmente conhecido por suas obras pintadas às escondidas em paredes de edifícios em vários países. Até o momento, sua identidade permanece desconhecida, mas sabe-se que ele é originário da cidade de Bristol, na Inglaterra.