Negócios

Melinda Gates

Ao lado do marido, Bill Gates, fundador da Microsoft, ela comanda a maior fundação privada do planeta e está doando quase toda a fortuna da família

Melinda Gates

A americana Melinda Gates, apenas pelo seu sobrenome, teria portas abertas aonde quer que fosse. Mas a mulher do homem mais rico do mundo, Bill Gates, o famoso fundador da Microsoft, está escrevendo sua própria história à frente da Bill & Melinda Gates Foundation, mais conhecida como Fundação Gates. Ela comanda o maior fundo privado dedicado a causas humanitárias em todo o mundo, que recebe doações de dezenas bilionários mundo afora, além de estar doando cerca de US$ 40 bilhões de sua própria fortuna para projetos sociais. “O dinheiro só tem valor se, de alguma forma, puder ajudar alguém a ter dignidade e uma vida melhor”, disse Melinda à DINHEIRO, há um ano. “Todos nós, com ou sem dinheiro, temos a capacidade de melhorar a vida de alguém.”

2016: em outubro do ano passado, Melinda foi capa na DINHEIRO por sua atuação no comando da Fundação Gates

Como manda a etiqueta entre os bilionários do Vale do Silício, Melinda rejeita a rótulo de generosa. Embora os US$ 35,5 bilhões doados pela sua fundação até hoje tenham salvado a vida de mais de cinco milhões de crianças desde 2000, pelos cálculos da Science Progress, Melinda garante que o esforço de combate às desigualdades deve ser incluído ao dia a dia das empresas. “Não se trata de generosidade. Só não podemos aceitar, como seres humanos, que crianças continuem morrendo de diarréia e rotavírus, algo que pode ser curado com um remédio barato em qualquer farmácia dos Estados Unidos”, disse Melinda.

Com essa simplicidade e discurso, Melinda tem convencido multidões. Graças a ela, outros bilionários estão incorporando a filosofia da filantropia e abrindo mão de boa parte da riqueza que acumularam. Buffett, o maior apoiador da Fundação Gates, é o maior exemplo. Ele doou, entre 2006 e 2015, US$ 17,3 bilhões ao fundo capitaneado por Melinda, dinheirama que representa cerca de 30% de sua fortuna. E a lista de bilionários doadores inclui ainda o fundador da Oracle, Larry Ellison, e o criador do Facebook, Mark Zuckerberg e até o brasileiro Elie Horn, dono da construtora Cyrela, que promete doar 60% da sua fortuna estimada em US$ 1 bilhão, fazem parte do chamado The Giving Pledge.

Além da grande capacidade de atrair investimentos para a filantropia, Melinda amplia sua influência política mais a cada dia. Ela aparece com freqüência ao lado de personalidades globais – desde o Papa Francisco e a chanceler alemã Ângela Merkel até o ativista e líder da banda irlandesa U2, Bono Vox. Uma outra frente de atuação o trabalho voltado à capacitação de mulheres e meninas em comunidades carentes ou marcadas pelo machismo. “Qualquer transformação de uma sociedade passa pela mulher”, diz Melinda. “As mulheres são o alicerce das famílias, das comunidades, dos países.”


Especial DINHEIRO 20 anos:

As 20 personalidades que estão mudando o Brasil e o mundo

Sergio Moro, o juiz que combate a corrupção no País

Alex Atala, o chef que valoriza alimentos sustentáveis e produtores nacionais

Jorge Paulo Lemann, o bilionário que acredita que o futuro do Brasil passa pela educação

Bernardo Bonjean, o homem que oferece crédito a juros baixos para os pobres

Daniela Soares, a banqueira que busca um propósito mais elevado

David Vélez, o colombiano que chacoalhou o mercado financeiro brasileiro

Candice Pascoal, a mulher que financia projetos de impacto social

Elon Musk, o louco inventor do futuro

Elibio Rech, o pesquisador que é uma celebridade global da engenharia genética

Elie Horn, o empresário que se tornou um exemplo de filantropia no meio empresarial

Tânia Cosentino e a sua cruzada pela sustentabilidade

Justin Trudeau, o político canadense que está na contramão dos líderes populistas

Celso Athayde, o CEO de um conglomerado que quer desenvolver economicamente a periferia

Romero Rodrigues e sua missão de ajudar outros empreendedores a trilharem seu caminho

Theo Van der Loo, um dos líderes da discussão da diversidade nas empresas

Ana Lúcia Villela, uma das maiores ativistas dos direitos das crianças no Brasil

Marcus Figueredo quer baratear e popularizar os exames clínicos

Antonio Cardoso, o professor que está transformando a vida de jovens de Cocal dos Alves

Brian Chesky, do Airbnb, um dos expoentes da economia compartilhada

E mais:

Que País queremos ser?

O gigantismo chinês

Investidor: os maiores ganhos em 20 anos

Tópicos

Especial 20 Anos