Economia

Meirelles diz no Twitter que candidatura do Brasil à OCDE é bem recebida

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse nesta quarta-feira, 7, em sua nova conta no Twitter que a candidatura do Brasil como país-membro da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) “está sendo bem recebida”. “A entrada na OCDE faz parte da nossa agenda de reformas”, completou o ministro, na rede social.

Meirelles está em Paris para a reunião do conselho de ministros da OCDE. O Brasil não está entre os 35 Estados membros da organização, mas desde 2007 é um parceiro-chave do grupo, ao lado de China, Índia, África do Sul e Indonésia. Na semana passada, o governo brasileiro enviou à OCDE uma carta expressando o seu desejo de ser convidado a iniciar o processo de adesão formal.

Caso seja realmente convidado, o País terá que atender aos requisitos de todos os comitês do organismo, que abrangem diversas áreas, desde a legislação ambiental às normas tributárias.

Para o governo, a grande vantagem em ser membro pleno da OCDE está na participação de todas as discussões do grupo, e não apenas nas quais o País já é convidado. Além disso, o Brasil passaria a fazer parte de todos os estudos promovidos pelo organismo, que também envia missões para o auxílio em reformas estruturais, quando solicitado. O custo dessa participação, de cerca de US$ 10 milhões por ano, também é considerado baixo para o País.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel