Giro

Médico de alto cargo demitido alerta que EUA carece de ‘um plano mestre’ contra COVID

Médico de alto cargo demitido alerta que EUA carece de ‘um plano mestre’ contra COVID

O médico Rick Bright antes de sua audiência na Câmara dos Deputados em Washington - POOL/AFP

Um médico demitido de seu alto cargo como responsável por desenvolver uma vacina contra o coronavírus alertou o Congresso dos Estados Unidos nesta quinta-feira (14) que o país carece de um plano mestre para a pandemia e não está preparado para distribuir vacinas suficientes.

Rick Bright, ex-chefe da agência governamental responsável pelo desenvolvimento de uma vacina contra o coronavírus, afirmou que o país enfrenta seu “inverno mais sombrio”, sem liderança e sem um “plano mestre” para responder ao vírus.

A primeira parte do depoimento foi divulgada na quarta-feira e pela manhã o presidente Donald Trump descartou as declarações, desqualificando-o como um “funcionário insatisfeito” e afirmou que “com sua atitude, já não deveria estar trabalhando para o governo”.

“Não estamos fazendo o que deveríamos”, disse o médico, em um momento em que Estados Unidos é o país com mais mortos na pandemia, totalizando mais de 84.136.

O médico afirma que foi demitido após expressar sua preocupação com o uso da cloroquina e hidroxicloroquina para tratar a COVID-19.

“Os americanos merecem a verdade, uma verdade baseada na ciência, temos os melhores cientistas do mundo, deixe-nos falar sem medo de represálias”, pediu Bright, que na semana passada apresentou uma queixa criticando que a resposta precoce do governo era insuficiente.

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel