Economia

Marfrig confirma oferta subsequente de ações que pode somar R$ 3,3 bi

A Marfrig fará uma oferta subsequente de ações (follow on) que poderá chegar em R$ 3,3 bilhões, considerando o preço do fechamento de ontem (R$11,10), conforme antecipou a Coluna do Broadcast. A oferta será primária e inclui um lote secundário, para a venda de ações detidas pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES), que possui 33,74% da Companhia. Na oferta primária serão vendidas 90.090.091 ações e na secundária o BNDES venderá sua participação, de 209.648.427 ações.

O processo de bookbuilding e o roadshow, para apresentação aos acionistas, terão início na segunda-feira, dia 09, e terminarão no dia 17, quando o preço da ação no âmbito da oferta será fixado. Segundo fato relevante, os recursos oriundos da oferta primária serão destinados para pré-pagar certas dívidas, ” que serão selecionadas pela administração da Companhia de acordo com a estratégia e no melhor interesse da Companhia”.

Coordenam a oferta JPMorgan, Bradesco BBI, Santander e BB Investimentos. Marcos Molina, sócio-fundador e dono da maior participação na Marfrig, com 36,43% da companhia, estava interessado em comprar toda a fatia detida pelo banco de fomento e chegou a se movimentar em busca de financiamento no mercado para realizar o negócio.

A expectativa, ao menos até aqui, é de que Molina participe na oferta prioritária, para evitar ser diluído na operação. Como a fatia do BNDES será diluída a mercado, Molina seguirá no comando da empresa, mesmo que ainda com uma fatia minoritária.

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel