Política

Marco Aurélio rejeita ação de Bolsonaro contra medidas de restrição nos Estados

Crédito: Arquivo/Agência Brasil

Ministro rejeitou a ação por ter sido proposta e assinada apenas pelo presidente Bolsonaro e não ter a assinatura da AGU ou de qualquer advogado (Crédito: Arquivo/Agência Brasil)

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Marco Aurélio Mello rejeitou nesta terça-feira (23) a Adin (Ação Direta de Inconstitucionalidade) movida pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, para tentar suspender as medidas de restrições nos Estados.

A ação era contra decretos dos governos do Distrito Federal, da Bahia e do Rio Grande do Sul, que endureceram as restrições à circulação de pessoas para tentar conter a pandemia de covid-19.

+ São Paulo tem 1.021 mortes no pior dia desde o início da pandemia

De acordo com a CNN, em sua decisão, Marco Aurélio não entra no mérito da Adin e rejeitou a ação por ter sido proposta e assinada apenas pelo presidente Bolsonaro e não ter a assinatura da AGU (Advocacia Geral da União) ou de qualquer advogado.

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel