Ciência

Manuscrito de Einstein é arrematado em leilão ao preço recorde de € 11,6 milhões

Manuscrito de Einstein é arrematado em leilão ao preço recorde de € 11,6 milhões

Uma das páginas de Albert Einstein, exibido em Paris, em foto de 22 novembro 2021 - AFP

Um dos rascunhos manuscritos da teoria da relatividade geral de Albert Einstein foi leiloado nesta terça-feira (23) por 11,6 milhões de euros (cerca de 13 milhões de dólares), em Paris, constatou a AFP.



Anteriormente tinham sido pagos 2,8 milhões de dólares em 2018 por uma carta manuscrita deste eminente cientista, na qual teorizava sobre Deus, e em 2017 foi desembolsado 1,56 milhão de dólares por outra carta na qual elucubrava sobre a felicidade.

O documento leiloado nesta terça-feira estava avaliado entre 2 e 3 milhões de euros. Ao contrário das duas cartas precedentes, trata-se de um valioso trabalho científico.

“Trata-se, sem dúvida alguma, do manuscrito de Einstein mais estimado já posto em leilão”, havia informado anteriormente a casa de leilões Christie’s em um comunicado.

O manuscrito de 54 páginas, foi redigido em 1913 e 1914, em Zurique (Suíça) pelo famoso físico alemão e seu colaborador e confidente, Michele Besso.



É graças a este engenheiro suíço, explicou a Christie’s, que “o manuscrito chegou, quase que milagrosamente, até nós: Einstein provavelmente não teria se preocupado em conservar o que podia lhe parecer como um documento de trabalho”.

Após sua teoria da relatividade especial, que o levou a demonstrar em 1905 a fórmula “E=mc²”, Einstein começou a trabalhar, em 1912, em uma teoria da relatividade geral.

Esta teoria da gravitação, publicada finalmente em novembro de 1915, revolucionou a compreensão do universo. Einstein morreu em 1955 aos 76 anos e se tornou um símbolo da genialidade científica, bem como uma personalidade pop, com a famosa foto de 1951 em que aparece com a língua para fora.

No começo de 1913, tanto Einstein quanto Besso “começaram a trabalhar em um dos problemas com os quais a comunidade científica levava décadas se confrontando: a anomalia da órbita do planeta Mercúrio”, lembrou a Christie’s. Os dois cientistas solucionaram este enigma.

Mas não o fizeram nos cálculos deste manuscrito, que incluem “vários erros que passaram despercebidos”. Quando Einstein os detectou, deixou de se preocupar com o manuscrito, que ficou nas mãos de Michele Besso.

“Os documentos manuscritos científicos de Einstein desse período, e mais geralmente, de antes de 1919, são extremamente raros”, destacou a casa de leilões.

“Como um dos dois únicos manuscritos de trabalho preservados e que documentam a gênese da teoria da relatividade geral, é um registro extraordinário do trabalho de Einstein e proporciona uma visão fascinante da mente do maior cientista do século XX”, acrescentou.

O outro documento conhecido deste período crucial na investigação do físico, chamado de “caderno de Zurique” (do fim de 1912, início de 1913) se encontra nos arquivos Einstein, na Universidade Hebraica de Jerusalém.


Veja também
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Vídeo: Motorista deixa carro Tesla no piloto automático e dorme em rodovia de SP
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Lago Superior: a melhor onda de água doce do mundo?